A companhia alemã Basf desenvolveu um novo modo de produzir componentes plásticos marmorizados em série por meio da moldagem por injeção, feitos com polímeros da sua linha Ultrason, baseados em polisulfona (PSU). A técnica de coloração oferece diversas possibilidades para os designers utilizarem esse material para colorir eletrodomésticos, tigelas e outros utensílios, assim como componentes externos que precisam ser mais atraentes esteticamente.

 

A nova técnica, que é objeto de pedido de patente, apresentou alto índice de sucesso com dois grades de moldagem por injeção, o Ultrason E – baseado em poli(etersulfona) (PESU) – e o Ultrason P – baseado em poli(fenilsulfona) (PPSU) –, para a produção de peças voltadas a aplicações que se beneficiem das propriedades de alta resistência térmica, química e mecânica intrínsecas ao material, assim como as que exigem aprovação para contato com alimentos.

 

De acordo com informações da empresa, o novo processo torna possível produzir peças, com efeito marmorizado, moldadas em máquinas convencionais de injeção de maneira mais fácil e com um maior índice de confiabilidade de processo do que antes, desde que sejam utilizados novos tipos de bicos injetores e uma técnica de dosagem especial. Ainda segundo a Basf, pela primeira vez efeitos de superfície como tonalidades, riscas e padrões de cor podem ser reproduzidos: partes moldadas por injeção de uma série são parecidas, mas não são completamente idênticas.

 

Com uma tonalidade próxima à cor de mel, os grânulos da linha são adequados para tons claros, bem como padrões abstratos por coloração sólida que se parecem com materiais naturais, tais como madeira ou mármore. “Efeitos de mármore sempre chamaram atenção no mundo dos plásticos. Até agora, esses efeitos eram possíveis somente com a complexa moldagem por injeção de dois componentes e não garantiam reprodutibilidade. Com a marmorização, estamos adicionando outra forma de colorir às já versáteis possibilidades de design do Ultrason. Com controle de temperatura adequado da máquina, padrões atraentes e de alto contraste são possíveis para os nossos graus P e E de injeção. Até agora, nossos clientes conseguiram moldar componentes transparentes, translúcidos e, naturalmente, de coloração sólida”, disse o executivo Georg Graessel, do setor de Desenvolvimento de Negócios Globais Ultrason da Basf.

 

Além das aplicações já mencionadas, os componentes marmorizados podem ser utilizados ainda em produtos domésticos (como copos, pratos e utensílios de cozinha), os quais são recomendados para o uso em forno de micro-ondas. Outras possíveis aplicações são em armações e alças de óculos, em componentes visíveis de aparelhos elétricos e eletrônicos, painéis decorativos e revestimentos. Todas elas se beneficiam das boas propriedades da matéria-prima, tais como resistência ao vapor de até 180 °C, alta resistência mecânica em uma ampla gama de temperaturas, boa resistência a agentes de limpeza industrial, assim como a ciclos de esterilização.


 

O processo

A marmorização é feita em máquinas convencionais de moldagem por injeção equipadas com apenas uma unidade de plastificação e um bico aberto. O material de base pré-colorido e o masterbatch de cores de alto contraste devem ser adicionados de forma sincronizada no ciclo de moldagem. Os padrões na parte moldada são então alcançados pela separação e fusão do fluxo de material plastificado. Isso é feito com bicos injetores, os quais são fabricados por impressão 3D.

 

Esses insertos oferecem grande liberdade de design, uma vez que não somente podem ser criados padrões espelhados, como também padrões de rotação simétricos. Outros fatores que influenciam o design de padrões são o próprio formato do bico, o sistema de abertura do molde, a localização da abertura e o comportamento do fluxo de plastificação durante o preenchimento do molde. A nova técnica da companhia também é adequada para outros termoplásticos.


 

(Foto: Ultrason/Divulgação BASF)

#polisulfona #polimerodeengenharia #altodesempenho #psu #pesu #ppsu



Mais Notícias PI



Novos polímeros com grafeno, mais resistentes e sustentáveis

Parceria entre a Gerdau Graphene e a unidade Embrapii Senai Mario Amato terá foco na pesquisa, desenvolvimento e inovação para aplicações industriais do grafeno em plásticos.

18/01/2022


Poluição marinha por plásticos em debate

A AMI promove gratuitamente o evento virtual “Ocean Plastic”, que falará sobre como encontrar maneiras de resolver o problema da poluição marinha por plásticos.

17/01/2022


Sachês pós-consumo transformados em itens esportivos

Projeto que integra a Boomera e a marca Nescau resultou na reciclagem de resina pós-consumo, proveniente de embalagens flexíveis, em itens esportivos, os quais foram doados a organização beneficente.

14/01/2022