A Celomax, empresa especializada em produtos de celofane sediada em Araras (SP) – pertencente à Nelxon –, fornece as linhas Biodeg e Organa, de filmes de celofane voltados à confecção de embalagens, obtidos a partir de celulose de eucalipto, capazes de se decompor e ser incorporados ao solo como adubo.

 

De acordo com informações da companhia, os filmes da linha Biodeg podem ser direcionados à compostagem e, quando destinados de maneira correta, se decompõem em até 180 dias (segundo norma ASTM D6400), resultando em  CO2, H2O e em outros resíduos orgânicos que podem ser incorporados ao solo como adubo.

 

Saquinho descartável e compostável “Prudent” para máscaras

 

Dentre suas principais aplicações, destacam-se soluções como o invólucro compostável Prudent, para o acondicionamento de máscaras, e do Cocôzim, produto destinado ao recolhimento de fezes de animais de estimação, que se degrada junto com os resíduos dos pets. Além disso, o filme pode ser aplicado em produtos alimentícios, artesanato, saboaria, floriculturas, decorações, saquinhos para talheres, entre outros.

 

Já a linha Organa, de filmes biodegradáveis, pode se degradar no ambiente dentro do prazo de um a três anos. Ambos os produtos são obtidos a partir da polpa de celulose.

 

Embora tratado como “não sendo plástico” pela companhia, é correto afirmar que o celofane é um filme plástico obtido por meio da polimerização da celulose proveniente de madeira, algodão, cânhamo ou outras fontes naturais.

 

(Foto: Celomax)

#celofane #biodegradavel #compostavel #filmeplastico



Mais Notícias PI



Fibra de carbono de base biológica

Companhia belga estabeleceu um acordo que permitirá o desenvolvimento de fibra de carbono sustentável.

12/01/2022


PET de origem vegetal na fabricação de garrafas para refrigerantes

Protótipo lançado este mês foi usado no envase do refrigerante da marca europeia Orangina. A comercialização deverá ter início em breve.

07/12/2021


Três vezes mais bioplásticos

Dados divulgados durante a 16ª Conferência da European Bioplastics, no início deste mês, apontam que a produção de bioplásticos deverá mais do que triplicar nos próximos cinco anos.

06/12/2021