A norte-americana ExxonMobil desenvolveu um novo grade de polietileno de alta densidade (PEAD) chamado Paxon SP5504, voltado à fabricação de garrafas e recipientes, que demonstra alta resistência ao stress cracking sem comprometer seus índices de rigidez e resistência ao impacto.

 

A “mudança de paradigma” que o grade promove é o ponto-chave para a companhia, a qual destaca um aumento considerável no desempenho de resistência à fissura por estresse ambiental (ou ESCR, do inglês environmental stress cracking resistance) do PEAD, sem comprometer outros indicadores de desempenho ou capacidade de processamento.

 

De acordo com informações da ExxonMobil, em termos de desempenho e capacidade de processamento, o Paxon SP5504 preenche o espaço entre os graus de PEAD com distribuição de tamanho de cadeia unimodal e bimodal. “Devido ao seu desempenho superior, ele pode ser usado como uma solução drop-in para PEAD unimodal, mas com um melhor equilíbrio de propriedades. Ou pode ser usado para substituir os tipos de PEAD bimodal em aplicações que tiveram de ser super projetadas para obter o equilíbrio desejado de ESCR e rigidez”, disse o Dr. James Stern, gerente de desenvolvimento de negócios de PEAD da empresa.

 

Assim, o grade Paxon SP5504 é recomendado para moldagem por sopro de vários itens padrão, tais como frascos e garrafas, até aplicações mais exigentes como recipientes de produtos químicos domésticos e industriais (HIC) para produtos como alvejante e químicos agrícolas. Possibilita ainda designs mais complexos e projetos de embalagens mais criativos.

 

Por fim, devido às suas propriedades intrínsecas, o Paxon SP5504 pode ser processado com maiores índices de material pós-consumo com impacto mínimo em suas propriedades, se comparado a outras resinas. Para Mark Canright, da área de tecnologia de produtos de poliolefina da ExxonMobil, “as peças de PEAD moldadas por sopro normalmente possuem algum conteúdo de PCR (reciclados pós-consumo) no núcleo de frascos e recipientes de várias camadas. Na Califórnia, por exemplo, a quantidade de PCR em peças de PEAD moldadas por sopro é de 25% e espera-se que aumente no próximo ano. Entretanto, essa adição pode impactar as propriedades do material virgem e o novo grade permite que os conversores adicionem ainda mais PCR sem comprometer significativamente as propriedades das peças acabadas”.

 

(Foto: Freepik)

#pead #stresscracking #materialcompcr #reciclagemdeplastico



Mais Notícias PI



Filtro para polímeros altamente contaminados

Sistema autolimpante é recomendado para o processamento de materiais reciclados.

04/03/2021


Dificuldades no suprimento de matéria-prima devem perdurar pelos próximos meses

Entidades da área de plásticos preveem panorama incerto no fornecimento de resina para os próximos meses.

04/03/2021


Novo projeto vai testar redes 5G no chão de fábrica

Acordo firmado entre entidades de diferentes setores levou ao início de um projeto-piloto que envolverá ensaios de redes 5G em ambientes fabris.

03/03/2021