Em estudo feito na Universidade de Wyoming, nos Estados Unidos, pesquisadores anunciam a transformação de pó de carvão em nanografite, substância normalmente usada como lubrificante e em itens que vão de extintores de incêndio a baterias de lítio. De acordo com os cientistas, o experimento foi realizado em um forno micro-ondas num intervalo de apenas 15 minutos, em um método simples e barato de conversão de materiais. 

O estudo foi motivado por pesquisas anteriores que revelaram a possibilidade do uso deste tipo de forno para reduzir a umidade e remover enxofre e outros minerais do carvão após tratamento químico prévio. No entanto, o único tratamento prévio realizado foi a moagem do carvão. O material decorrente foi colocado em folhas de cobre e lacrado em recipientes de vidro junto a uma mistura gasosa de argônio e hidrogênio até ir ao micro-ondas. 

O processo levou à geração, em poucos segundos, de uma temperatura interna do forno altíssima, estimada em quase mil graus Celsius (1.800 graus Fahrenheit), resultando na transformação desejada. Na visão dos pesquisadores, este experimento pode ser aprimorado e estabelecido em larga escala no intuito de elevar tanto a qualidade quanto a quantidade de nanografite no mercado internacional.



Mais Notícias MM



Manufatura aditiva: nova aquisição movimenta o mercado internacional

Empresa americana Desktop Metal é a nova proprietária da italiana Aidro, empresa inovadora no ramo de impressão 3D

14/09/2021


Tecnologia: impressora 3D com IA e algoritmos para aprendizado de máquinas

Lançada pela Breton, o modelo Genesis combina métodos aditivos e substrativos de produção com materiais termoplásticos em larga escala

31/08/2021


Aplicação: máquina de serra é capaz de separar titânio impresso em 3D

Novidades da alemã Behringer, os modelos HBE320-523 3D e LPS-T. da série 3D realizam corte em componentes feitos por manufatura aditiva

31/08/2021