Jochen Schaal e Miguel Ángel Mesa*

 

A fabricação e conformação de metais usando máquinas como prensas hidráulicas, puncionadeiras, máquinas de corte e sistemas de conformação a quente ou a frio são processos ruidosos. As emissões podem variar amplamente em termos de potência sonora, espectro de frequência emitida, diretividade e em suas características temporais. Os sons produzidos por esses processos podem variar entre contínuos, intermitentes ou impulsivos, dependendo do tipo de equipamento ou processos associados.

Assim como o corte e a conformação de metais são otimizados por sistemas de projeto (CAD) e manufatura (CAM) auxiliados por computadores, pela automação industrial e pela robótica, também existem programas computacionais de simulação capazes de controlar as emissões de ruído. Essas ferramentas podem ajudar a garantir a otimização das atividades no de chão de fábrica, dos projetos de construção e dos procedimentos operacionais. Os programas de simulação também podem ser usados para minimizar o ruído no uso subsequente de metais, tubos e encanamentos em projetos de engenharia civil, construções e nos setores de transporte, por exemplo.

 

Um futuro melhor

Em seu ‘Relatório Mundial sobre Audição’1) de 2021, a Organização Mundial da Saúde estima que 217 milhões de pessoas têm algum grau de perda auditiva nas Américas (América do Norte e América do Sul).

A pandemia nos trouxe profundas reflexões sobre como podemos melhorar a saúde do nosso planeta. Muitos de nós aceitávamos tacitamente o ruído ambiental, provocado por fontes industriais e outras, como parte inevitável da vida urbana. No entanto, à medida que o mundo se fechou ao longo da crise sanitária, nosso meio ambiente ganhou algum espaço para respirar.

À medida que a nossa atividade diminuía devido às medidas de restrição de mobilidade, os níveis de poluição também diminuíram. Estudos realizados em março de 20202) em várias cidades importantes em todo o mundo, incluindo São Paulo, mostraram que os níveis sonoros médios diminuíram durante a pandemia devido aos menores níveis de atividade. O silêncio das nossas ruas tornou-nos ainda mais conscientes de que não são as próprias cidades que fazem barulho, mas sim as pessoas que as habitam.

 

Seguindo em frente, o foco não deve ser apenas no combate ao risco do vírus, mas também em uma série de outros fatores que afetam nosso bem-estar, incluindo a poluição do ar e sonora e o incentivo a alternativas de energia limpa. Como especialistas em controle de ruído e programas computacionais de mapeamento, estamos convencidos de que, mesmo após a pandemia, os níveis sonoros podem ser sistematicamente diminuídos.

 

Dados precisos para soluções adequadas

Não é difícil reconhecer um som incômodo, mas identificar sua origem e seu meio de propagação de forma assertiva pode ser uma questão bem mais complexa. Se você pretende reduzir um determinado som ou mitigar seus efeitos nocivos, é preciso saber o máximo possível sobre ele; e quanto mais dados você tiver, melhor será a solução. Para ser realmente eficaz, qualquer tentativa de controle deve ser baseada em uma análise precisa e atualizada, em vez de suposições ou tomando como referência níveis registrados no passado.

 

Os avanços na tecnologia permitem que não apenas o ruído existente possa ser calculado e moderado, mas também (com o uso de programas de mapeamento) que os níveis sonoros futuros sejam avaliados antes mesmo do início de um projeto. Usando estes programas de simulação, é possível produzir uma representação visual que nos mostra de onde o ruído vem e como ele se propaga.

 

Ruído ocupacional

O ruído industrial pode causar problemas de saúde significativos para os trabalhadores e tem grande potencial para gerar passivos contra qualquer empresa que não tome as medidas necessárias para proteger seus funcionários. Também pode impactar os níveis de ruído ambiental em locais públicos.

 

As emissões de ruído industrial vêm de uma ampla variedade de fontes. No entanto elas não podem ser categorizadas facilmente, pois cada situação industrial é diferente. Isso torna a avaliação e mitigação dos ruídos industriais muito mais difíceis do que o ruído emitido por outras fontes, tais como o tráfego de veículos por exemplo.

 

A perda auditiva induzida por ruído (PAIR) é uma das doenças profissionais mais comuns em todo o mundo. Por exemplo, nos Estados Unidos, o Centro de Controle de Doenças (CDC) estima que 22 milhões de trabalhadores estão expostos a ruídos potencialmente prejudiciais no trabalho a cada ano3). O limite regulamentar definido para o ruído ocupacional é usualmente 85 decibéis (dB) para uma jornada de trabalho de 8 horas diárias4). Entende-se que há risco de perda auditiva quando as pessoas são expostas a níveis sonoros superiores a esse valor. Este risco aumenta com a amplitude e o tempo de exposição e também é influenciada pela frequência do ruído, com frequências mais altas causando mais danos.

 

O principal problema em processos ruidosos é encontrar e documentar as regiões onde os níveis sonoros atingem ou ultrapassam 85 dB, delimitadas por uma “linha de contorno de ruído”. Em áreas onde os níveis de ruído excedem 85 dB, os trabalhadores devem usar proteção auditiva. Se a linha de 85 dB não estiver claramente marcada, trabalhadores podem ficar expostos a condições insalubres e as empresas podem estar sujeitas a multas. Se uma planta tem áreas que podem estar próximas ou acima de 85 dB, é aconselhável investir em estudos de ruído para definir todas as áreas onde a proteção auditiva é necessária.

 

Testando cenários com dados

Programas de mapeamento de ruído vão muito além das medições, que registram apenas o nível global de ruído conforme ele ocorre em um ponto geográfico específico. Um mapa de ruído mostra a posição das fontes, incluindo todos os dados geométricos e os níveis de ruído dentro e fora de um edifício. Cada mapa de ruído é único, de acordo com o tamanho do projeto, geografia, objetivos e as fontes de ruído relevantes, mas acima de tudo, os dados que estão disponíveis e que podem ser prontamente importados e utilizados na atualização dos mapas.  

Mapa de ruído em uma área de produção

 

Usando esses dados de entrada, os programas de mapeamento de ruído podem criar modelos de simulação realistas que mostram como o ruído se propaga. Os dados podem vir de várias fontes diferentes, como sistemas de informação gráfica (GIS) ou outros serviços de mapeamento, contagens de tráfego para rodovias e ferrovias, especificações de máquinas e equipamentos publicadas pelos fabricantes, bibliotecas dos programas ou qualquer outra fonte disponível.

 

Os programas de mapeamento podem isolar diferentes componentes do ruído a partir de diferentes tipos de locais e de múltiplas fontes. Isso significa que o ruído de atividades de conformação e fabricação de metal e as operações de processamento de tubos podem ser avaliados em diferentes locais, mostrando a contribuição das fontes do ruído mais alto e a propagação do som por toda a área de interesse. Eles também podem ajudar a mostrar como as medidas mitigadoras, incluindo a especificação de equipamentos mais silenciosos, a introdução de dispositivos de controle de ruído, como barreiras e gabinetes, e o rearranjo e planejamento cuidadoso de edifícios e equipamentos, podem influenciar a propagação do som.

 

Os programas de mapeamento produzem representações gráficas do ruído usando cores para descrever os diferentes níveis, inclusive em 3D e em formatos animados, se necessário. Esses códigos de cores permitem que a informação seja facilmente compreendida, numa representação visual muito intuitiva de onde o ruído vem e como ele se propaga. Depois de criar um mapa de ruído, você pode facilmente introduzir as medidas de controle para começar a proteger o meio ambiente e as pessoas contra ruídos indesejados.

Os programas oferecem a opção de desenvolver "cenários hipotéticos" para que o impacto de futuros desenvolvimentos ou atividades possa ser avaliado com antecedência. Diferentes opções podem ser testadas e seus custos podem ser avaliados no computador, evitando gastos desnecessários com medidas de redução de ruído. Os níveis de ruído futuros podem ser previstos e medidas preventivas podem ser tomadas para controlá-lo. Com essa abordagem, a mitigação de ruído pode ser direcionada da maneira mais econômica.

 

Medidas de redução de ruído

As melhores medidas mitigadoras são aquelas que atuam diretamente nas fontes. Alguns exemplos práticos incluem o uso dos dados de emissão de ruído disponibilizados pelos fornecedores de máquinas ou instalações, para ajudar a embasar sua decisão de compra. Onde máquinas/instalações ruidosas precisam permanecer em locais de trabalho, é importante protegê-las com enclausuramentos ou barreiras de isolamento acústico. Também pode ser necessário montar certas máquinas sobre bases antivibração. Quando os níveis de ruído excederem 85 decibéis (dB) em algum local, certifique-se de que eles sejam claramente identificados e que os trabalhadores utilizem proteção auditiva (plugs ou tipo concha) adequada.


 

Testes de baixo custo

A maioria das simulações de ruído ambiental são projetos de pequeno e médio porte como, por exemplo, a expansão de uma unidade industrial, e têm como objetivo verificar o atendimento às normas vigentes.

Para esses projetos, o programa de modelagem de ruído deve possibilitar a entrada rápida e fácil de dados no modelo. Os resultados devem ser obtidos rapidamente sem a necessidade de muita formatação, mas também deve ser possível personalizar sua apresentação, refletindo a identidade da sua empresa para que você possa se orgulhar de seu trabalho. É recomendável um software rápido, que atende às principais normas internacionais de ruído e fornece aos usuários um pacote de cálculos precisos com excelentes gráficos que atendem todas as necessidades de apresentação do cliente.

Além de um software de mapeamento de ruído abrangente e modular, é possível ter uma versão especialmente desenvolvida para usuários que só precisam elaborar mapas de ruído ocasionalmente. Isso os ajuda a obter resultados gráficos e tabulares confiáveis para realizar cálculos de ruído com o mínimo de investimento.


 

Ouvindo a mensagem em alto e bom som

Depois de criar um mapa de ruído e elaborar suas estratégias, é possível introduzir medidas mitigadoras para começar a proteger trabalhadores e vizinhos dos efeitos dos ruídos. Com a redução de apenas alguns decibéis, é possível reduzir consideravelmente o risco de perda auditiva e outros efeitos prejudiciais.

Usar equipamentos silenciosos e com boa manutenção ou colocar barreiras entre o trabalhador e as fontes sonoras são ações relativamente simples, mas podem ter um grande impacto na vida das pessoas. O uso de programas de mapeamento de ruído fornece os meios para identificar com precisão as mudanças mais adequadas que lhe permitirão proteger seus funcionários, seus vizinhos e sua empresa.

 

*Jochen Schaal é diretor-gerente da SoundPLAN GmbH, e Miguel Ángel Mesa é da  SoundPLAN Latinoamérica.


Fotos:  SoundPlan

 

Referências:

 

  1. Organização Mundial da Saúde ‘World Report on Hearing’ March 2021 https://www.who.int/publications/i/item/world-report-on-hearing

  2. Global quieting of high-frequency seismic noise due to COVID-19 pandemic lockdown measures. Thomas Lecocq, Stephen Hicks, Koen Van Noten, Kasper van Wijk, Paula Koelemeijer, et al., Science, 24 July 2020 https://science.sciencemag.org/content/369/6509/1338.full

  3. The Center for Disease Control: https://www.cdc.gov/niosh/topics/noise/default.html

  4. ISO 1999:2013 https://www.iso.org/standard/45103.html e https://www.osha.gov/noise



Mais Notícias CCM



Moldando um futuro mais sólido e seguro para a cadeia metalmecânica

Especialistas em mapeamento de ruídos oriundos de parques fabris dão exemplos de como empresas do segmento metalmecânico podem proteger a saúde auditiva de profissionais que atuam no chão de fábrica.

01/07/2022


A nova industrialização

Executivo aborda acontecimentos históricos que influenciaram a rotina da indústria de manufatura no Brasil e no mundo, bem como faz comentários sobre como tais fatos podem ser úteis para o planejamento de novas diretrizes para a cadeia produtiva.

16/06/2022


Mais alumínio no ramo de energia solar

Executivo faz um paralelo sobre as possibilidades de aplicação de alumínio na construção de itens para parques fotovoltaicos e o aumento da demanda por fontes de energia limpa e renovável.

23/05/2022