A  Lummus Technology – companhia norte-americana ligada aos setores de energia, petroquímica, refino, tecnologias renováveis, entre outros – anunciou a assinatura de um memorando de entendimento com a Braskem, o qual estabelece o licenciamento em conjunto para projetos globais da assim chamada tecnologia de eteno verde a partir de etanol, com base no processo executado pela empresa em sua planta de Triunfo (RS).

 

De acordo com informações constantes no site da Lummus, o memorando de entendimento estabeleceu o licenciamento da tecnologia, de propriedade da Braskem, para dois projetos de conversão de etanol para eteno em desenvolvimento na América do Norte e na Ásia.

 

Esse memorando também reflete a diretriz empresarial estratégica da empresa, por meio de sua subsidiária Green Circle, voltada à comercialização e ao desenvolvimento de soluções inovadoras para abordar os pilares principais da transição energética, incluindo a reciclagem de resíduos plásticos ao fim de sua vida útil, a produção de químicos sustentáveis feitos a partir de base biológica e as estratégias de descarbonização para ativos existentes e novos.

 

Para a companhia brasileira, a cooperação tem potencial de impactar a produção global de biopolímeros de baixo carbono e fomentar uma transição energética, o que sinaliza o interesse mundial nessa tecnologia. Além do memorando de entendimento, a Lummus e a Braskem estão discutindo um acordo de longo prazo para permitir à norte-americana licenciar a tecnologia como uma forma de acelerar o uso pelo setor químico de matéria-prima renovável e de combater as mudanças climáticas, como uma alternativa aos plásticos provenientes do petróleo.

 

Walmir Soller, do departamento de olefinas e poliolefinas da Braskem na Europa e Ásia, destacou que a companhia produz o eteno verde a partir do etanol, proveniente da cana-de-açúcar, há mais de dez anos e a Lummus, com sua capacidade de licenciamento de processos e tecnologias, oferecerá uma base sólida para o crescimento dessa alternativa de fonte renovável.


 

(Foto: pressfoto, Freepik)

#biopolimero #bioplastico #eteno #etanol 



Mais Notícias PI



Filamento de PHA para impressão 3D

Empresa holandesa adiciona ao seu portfólio uma linha de filamentos feitos de poli(hidroxialcanoato) (PHA), um biopolímero com boa resistência térmica e possibilidade de biodegradação.

27/04/2022


Cartão bancário feito de plástico biodegradável

Banco digital lançou no Brasil o C6 Acqua, sua nova versão de cartão de crédito feito com PLA, plástico de origem renovável e biodegradável.

25/04/2022


Ampliação da capacidade produtiva de bioplásticos no Brasil

A ERT pretende expandir, em dez vezes, a capacidade de produção de bioplásticos de sua unidade fabril em Curitiba, para mais de 3 mil toneladas em 2022 e prevê faturamento de R$ 100 milhões.

19/04/2022