Conteúdo elaborado pela Tomra

 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) de 2016 foram concretizados pela Comissão Europeia. A nova lei climática da União Europeia aumenta a meta de redução de emissões de 40% para pelo menos 55% até 2030 para atender às expectativas da Cúpula Mundial do Clima de novembro em Glasgow (Escócia).

 

Como parte da cadeia de revalorização de resíduos, a norueguesa Tomra, com unidade brasileira em São Paulo (SP), tem em vista ajudar a atingir os objetivos e elevar a gestão de resíduos a outro nível. Um novo estudo encomendado pela empresa e conduzido pela Eunomia demonstra o potencial para um sistema de gestão de resíduos otimizado no que diz respeito às mudanças climáticas ao constatar que , em geral, é possível uma redução de 2,76 bilhões de toneladas de CO2 ao ano.

 

Essa redução pode ser alcançada usando os chamados Sistemas de Recursos Holísticos - a combinação otimizada das principais práticas de gerenciamento de resíduos para coleta, seleção e reciclagem para promover a transição para uma economia circular, que está evitando o esgotamento de recursos naturais, reduzindo o descarte e contribuindo para uma economia de carbono neutro.

Os sistemas de recursos holísticos, como mostra o esquema ao lado, são uma combinação ideal de regulamentos de estrutura política, incluindo a responsabilidade estendida do produtor, sistemas de devolução de embalagens e processos técnicos para a triagem de resíduos.

 

A consultoria de sustentabilidade Eunomia, com sede em Londres, examinou vários modelos para identificar o cenário mais eficiente e econômico para um sistema holístico, apresentando os seguintes resultados:

 

Essas orientações permitem a criação de modelos holísticos personalizados regionalmente, com a possibilidade de reduzir as emissões globais de CO2 em até 5%.

 

Os três elementos da gestão holística de resíduos são:

 

Sistemas de devolução de embalagens - para embalagens PET e latas de bebidas com eficiência de retorno acima de 90%. Eles maximizam a recuperação de material de alta qualidade e alta intensidade de carbono, ao mesmo tempo em que reduzem o volume de lixo.

Coletas seletivas de resíduos orgânicos, papel, têxteis e equipamentos elétricos e eletrônicos (EEE), que permitem que esses materiais sejam reciclados para o maior aproveitamento do carbono. Embora as coletas seletivas sejam uma parte intrínseca dos recursos holísticos, os índices de recuperação, mesmo nas melhores práticas, não são bons o suficiente. Uma triagem adicional da fração de resíduos restantes sempre será necessária.

A triagem de resíduos misturados gera taxas adicionais de coleta e reciclagem acima e além do que os outros elementos podem oferecer. A incineração ou a disposição em aterro de plásticos e outros materiais com alto teor de carbono geram emissões desnecessárias de gases de efeito estufa (GEE). A triagem reduz essas emissões e retorna mais materiais ao sistema para incorporação em novos produtos. Por isso precisa ser considerada uma prioridade de investimento agora, já que é uma barreira necessária para garantir que os sistemas de gerenciamento de resíduos recuperem o máximo possível de recursos para reciclagem.



 



Mais Notícias PI



Relevância do ERP para a indústria

Especialista da área de software para gestão de recursos na indústria faz comentários sobre como a implantação de ERP no chão de fábrica pode ser útil para empresas de diferentes portes e de diferentes ramos, como o de plásticos.

10/05/2022


Indústria inteligente não é só tecnologia e dados

Gerente de empresa de automação industrial trata do impacto da produção inteligente nos setores da indústria brasileira e aborda o papel da tecnologia para a obtenção de eficiência nos processos produtivos

19/04/2022


A guerra na Ucrânia e o cenário petroquímico

O conflito entre Rússia e Ucrânia tem potencial para estabelecer uma nova ordem nos mercados de energia e de commodities, com consequências diretas sobre os petroquímicos.

08/03/2022