A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acatou um pedido da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo) e, a partir de hoje (20 de março) começa a simplificar o processo de regularização de produtos para atuar no combate ao novo coronavírus (Covid-19).

A partir de agora, equipamentos de proteção individual (EPIs), tais como máscaras, luvas, e aventais - além de equipamentos médicos em que são usados resinas plásticas especiais, a exemplo de ventiladores pulmonares poderão ser regularizados no País de maneira mais ágil, caso seja configurada a indicação de uso para prevenção ou tratamento da doença causada pelo novo coronavírus (Covid-19). A resolução foi publicada hoje no Diário Oficial da União .

"A Anvisa acatou imediatamente um pedido da indústria nacional, partindo da premissa de que não vamos medir esforços para colocar os produtos necessários para abastecer o mercado", ressaltou o presidente da Abimo. Ainda de acordo com Franco Pallamolla, apesar dos esforços que a indústria nacional vem realizando, inclusive revendo o seu planejamento de produção, não é possível assegurar que a capacidade produtiva instalada seja suficiente para suportar a alta da demanda que se vislumbra.

 

#plásticos-na-área-médica    #Covid19



Mais Notícias PI



Molduras de EPS para acabamento de muros e fachadas

Peças indicadas para obra limpa são produzidas com poliestireno expandido e recebem revestimento de elastômero.

07/12/2021


Mobilidade elétrica: novos grades de PPA voltados à inovação sustentável

Empresa desenvolveu novas soluções de poliftalamida (PPA) projetadas para aplicações em componentes de transportes elétricos e em eletrônica de potência.

30/11/2021


Uso de polímero leva à redução da espessura de placas flexíveis de circuito impresso

​​​​​​​Placas de circuito impresso flexíveis com uma espessura total de menos de 20 mícrons e várias camadas de metalização foram desenvolvidas graças ao uso de parileno.

22/11/2021