O Instituto de Processamento de Plásticos (IKV), da Universidade de Aachen (RWTH, Alemanha), anunciou a construção de instalações que sediarão um dos maiores ou o maior centro de referência em indústria 4.0 para o setor de plásticos. O Centro de Inovação em Plásticos 4.0 (PIC 4.0) será erguido no campus do IKV, em um espaço denominado Seffenter Weg, um ambiente de pesquisa e desenvolvimento totalmente interconectado, ocupando uma área total de 4.200 metros quadrados, com inauguração prevista para 2022.

O custo do projeto será de 19,5 milhões de euros, a ser financiado pelo estado da Renânia do Norte-Vestfália e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Com uma abordagem holística, abrangendo pesquisa, desenvolvimento e a qualificação de empresas e funcionários no campo da digitalização do processamento de plásticos, o IKV tem como objetivo se tornar um centro líder da indústria 4.0 para a indústria de plásticos.

 

O projeto iniciará com um trabalho preparatório de pesquisa e desenvolvimento para interconectar totalmente a infraestrutura de pesquisa existente e elaborar a documentação completa para a construção de uma fábrica inteligente, envolvendo também conceitos de ensino-aprendizagem diretamente ligados à prática industrial.

 

Já durante a fase de construção e, posteriormente, no decorrer do trabalho de pesquisa, os cientistas envolvidos no projeto PIC 4.0 desenvolverão soluções para aquisição e processamento de dados de processo abrangentes ao longo de cadeias de valor complexas no processamento de plásticos. A infraestrutura de pesquisa integrada também será um ambiente de teste para futuros desenvolvimentos no Cluster de Excelência "Internet of Production" da Universidade de Aachen.

 

Cooperação será bem-vinda

Pascal Bilbow, CEO do PIC 4.0 afirmou, em entrevista exclusiva à Plástico Industrial, que todos os processos de transformação serão objeto de estudo na nova instituição, embora a fábrica inteligente tenha foco específico na moldagem por injeção e nos respectivos processos conectados ao longo do processo de criação de valor. As três principais áreas de interesse serão:

 

Engenharia digital: desenvolvimento de peças e processos abrangendo desde os requisitos da primeira peça até o controle da qualidade da peça final, incluindo a reintrodução de dados reais do processo no projeto.

 

Cadeia de valor complexa: interconexão de rotinas de produção ao longo do processo de criação de valor no processamento de plásticos. Estão sendo identificados aspectos relevantes do manuseio de materiais, produção de compostos etc. A moldagem por injeção já é objeto das atividades de digitalização devido ao potencial existente de automação e geração/acesso a dados por meio de interfaces padronizadas como EUROMAP/OPC-UA. No entanto, casos como a produção de pré-formas para outro processo subsequente, como moldagem por sopro, também servirão de base para testes de interconexão. Também será necessário respeitar a garantia de qualidade final nessa complexa cadeia de valor, bem como na oficina de ferramentas para projeto e manutenção de moldes.

 

Conectividade global: O IKV já atua em colaboração com 25 outros institutos e seu diretor, Pascal Bilbow, também preside o Cluster de Excelência “Internet of Production”, de forma que o PIC 4.0 realizará a transferência de tecnologia em uma relação muito estreita com a indústria, inclusive com desenvolvedores de maquinário com forte presença no mercado brasileiro. “O projeto oferece potencial para o IKV conduzir pesquisas em digitalização, mas também estamos abertos à colaboração com instituições em todo o mundo. Estamos muito interessados na cooperação e troca de informações com empresas ou instalações de pesquisa”, afirmou.

 

#indústria4.0  #plásticos4.0

 

 



Mais Notícias PI



Cresce o interesse em tecnologia digital

Estudo abordou os tipos de tecnologia digital que estão no radar da indústria de manufatura, e trouxe um panorama das áreas em que eles poderão ser usados.

06/08/2020


Vacinas contra Covid-19 serão envasadas em frascos plásticos

Empresa dos Estados Unidos contratou da alemã Zahoransky o fornecimento de linhas de fabricação no valor próximo de 25 milhões de euros. Elas vão executar a injeção, sopro, revestimento dos frascos, envase e gravação, de forma totalmente automatizada.

31/07/2020


Robôs aprendem a montar por tentativa e erro

A programação flexível de robôs é complexa no caso das tarefas de montagem. Por isso um projeto de pesquisa denominado Rob-aKademI propõe o uso de aprendizagem de máquina para torná-la mais fácil e autônoma, mudando a forma como os equipamentos “aprendem”.

22/07/2020