As indústrias brasileiras agora têm uma nova alternativa ao tradicional processo de metalização: a empresa Quimatic Tapmatic lançou a resina epóxi bicomponente Plasteel Titanium, destinada à realização de reparos de precisão em peças e equipamentos. Com reforço de titânio, o produto foi concebido para recuperar eixos, luvas protetoras, buchas, válvulas e outras partes do maquinário que apresentam quaisquer tipos de danos mecânicos (trincas, desgastes, rachaduras e afins). 

A resina apresenta resistência à compressão (de até 103 Mpa), temperaturas elevadas (175ºC constantes e picos de 200ºC) e ataques químicos, impedindo ferrugem. Após a aplicação, a peça pode ser usinável no intervalo de uma hora a uma hora e meia (ambiente com 25ºC), o que deixa a máquina parada por menos tempo, mantendo a produtividade industrial. De acordo com a fabricante, outras vantagens são o fato de ser mais seguro do que a solda convencional por não oferecer risco de explosão ou incêndio e gerar economia para as indústrias, uma vez que dispensa a estrutura necessária para fazer a metalização. 

Fabricado em território nacional, o Plasteel Titanium não possui componentes orgânicos voláteis (VOC) e não é inflamável. Está disponível em kits de 450g, 900 g e 7 kg em distribuidoras de todo o Brasil. Para mais informações sobre o produto, é preciso acessar o site oficial da Quimatic Tapmatic.

 

#ferramental #quimatictapmatic #resina #epóxi #usinagem #indústria #plasteeltitanium #solda 


 



Mais Notícias MM



Retificação de médias e grandes séries de peças

Nova linha de retificadoras comporta rebolos de até 610 mm de diâmetro e tem a aplicação de fluído refrigerante modulada conforme o tipo de operação a ser realizada.

24/06/2022


Estudo prevê bom desempenho para o mercado de manufatura inteligente

Tecnologias habilitadoras e crescimento por regiões são temas do estudo de 320 páginas que projeta forte crescimento para o mercado de fabricação inteligente.

09/06/2022


Análise e troca automática de pastilhas de corte

Sistema digital desenvolvido pelo Instituto Fraunhofer IPK monitora a condição das ferramentas e realiza a sua troca de forma automática.

06/06/2022