O Brasil tem uma planta de produção, caracterização e aplicação de grafeno – o material que desperta cada vez mais o interesse da indústria por suas propriedades especiais: leveza, resistência duzentas vezes maior que a do aço e excelentes condutibilidade térmica e elétrica, entre outras vantagens. A USC GRAPHENE, localizada na Universidade de Caxias do Sul (UCS), no Rio Grande do Sul, detém o status de primeira e maior iniciativa do gênero em escala industrial na América Latina.

Inaugurada oficialmente durante a primeira Feira Brasileira do Grafeno, realizada na UCS neste mês, a área de produção está inserida no Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação TecnoUCS foi criado após quase duas décadas de pesquisas avançadas promovidas pela entidade acadêmica para a geração de grafeno em alta qualidade, além de seus derivados e outros nanomateriais. Está em funcionamento desde março do ano passado e tem capacidade instalada de produção de 5 mil kg/ano.

 #grafeno #industria #uscgraphene #nanomaterial #ucs #brasil

 







 



Mais Notícias MM



Manufatura aditiva: nova aquisição movimenta o mercado internacional

Empresa americana Desktop Metal é a nova proprietária da italiana Aidro, empresa inovadora no ramo de impressão 3D

14/09/2021


Tecnologia: impressora 3D com IA e algoritmos para aprendizado de máquinas

Lançada pela Breton, o modelo Genesis combina métodos aditivos e substrativos de produção com materiais termoplásticos em larga escala

31/08/2021


Aplicação: máquina de serra é capaz de separar titânio impresso em 3D

Novidades da alemã Behringer, os modelos HBE320-523 3D e LPS-T. da série 3D realizam corte em componentes feitos por manufatura aditiva

31/08/2021