A Câmara Brasileira da Indústria 4.0 (Câmara i4.0), órgão sob coordenação do Ministério da Ciência e Tecnologia formado por autoridades do governo federal, industriais e acadêmicos, divulgou o Plano de Ação 2019-2022. O documento reúne iniciativas estatais e setoriais, algumas já concluídas e outras em andamento, que pretendem estimular o uso das tecnologias 4.0 pela indústria nacional com o objetivo de aumentar a competitividade e a produtividade do segmento.

O plano é dividido em quatro eixos principais: Desenvolvimento Tecnológico e Inovação; Capital Humano; Cadeias Produtivas e Desenvolvimento de Fornecedores; e Regulação, Normalização, Infraestrutura e Investimentos. Em relação ao primeiro grupo, a Câmara i4.0 relata a conclusão de uma plataforma para registro de iniciativas nacionais, de uma nota técnica que identifica os segmentos com maior potencial e do relatório “Demonstradores da Indústria 4.0”, que fornece aos participantes do órgão informações sobre o tema e apresenta recomendações para a sua implementação no Brasil. 

No segmento de capital humano, o plano destaca a oferta e a divulgação de cursos de aperfeiçoamento, extensão e pós-graduação EAD para professores para instituições de ensino, inclusive nas plataformas do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Além disso, criou mapeamentos variados para atualização de professores e identificou grupos de pesquisa e projetos relacionados à indústria 4.0 no CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), entre outros trabalhos.

Cadeias produtivas e infraestrutura

A área de Cadeias Produtivas e Desenvolvimento de Fornecedores apresenta como principais realizações a implementação de um Centro Afiliado para a 4a Revolução Industrial do Fórum Econômico Mundial instalado (C4IR Brasil) e o desenvolvimento de uma metodologia voltada à adoção de tecnologias habilitadoras de digitalização no âmbito do Programa Brasil Mais, do governo federal. Outro ponto importante foi a criação de programas como o Inovacred 4.0 (linha de crédito para soluções de digitalização), o Crédito Serviços 4.0 (linha de crédito disponibilizada pelo BNDES) e as linhas de financiamento Finame Máquinas (do BNDES) e Finep IoT (do Finep - Financiadora de Estudos e Projetos).

Em relação ao setor de regulação, normalização técnica e infraestrutura, que almeja a formatação de instrumentos para amplificar o alcance da indústria 4.0 no Brasil, a Câmara i4.0 comemora a publicação da Portaria ME 916 (altera a redação da Norma Regulamentadora nº 12), do PLC 79/2016 e da PL 7656/2017 (desonera os dispositivos de Internet das Coisas). O órgão também está desenvolvendo programas de capacitação e normas técnicas, além de atuar junto a instituições que destinam a faixa de frequência 5G específica para redes privadas, entre outros projetos.


#industria4.0 #industria #camarai40 #senai #mcti #tecnologia #brasil 




Mais Notícias MM



Moldes para injeção: fabricante portuguesa faz sua primeira peça por impressão 3D

A aplicação na empresa Erofio foi divulgada pela GE Additive, fabricante da máquina a laser por DMLM que foi utilizada no processo. A impressão 3D levou a uma redução de tempo de 30% em relação ao método tradicional de fabricação

08/06/2021


Fluidos de corte: Dia Mundial do Meio Ambiente lembra o impacto dos resíduos industriais

Celebrada no último dia 5 de junho, data também trabalha a conscientização quanto ao descarte de fluidos de corte e lubrificantes de máquinas

08/06/2021


Feiras: BI-MU confirma próxima edição para 2022

Tradicional encontro do setor de usinagem será realizado no mês de outubro, em Milão, em trabalho conjunto inédito com a Xylexpo, evento dedicado à indústria de madeira e móveis

08/06/2021