A Solfácil, plataforma de marketplace e de financiamento para energia solar distribuída, anunciou a emissão de R$ 1,28 bilhão em títulos verdes (green bonds) para financiar sistemas fotovoltaicos. Segundo comunicado da empresa, citando levantamento da Green Bond Transparency Platform, do BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento, com a captação ela se torna a segunda maior emissora de green bonds do Brasil, atrás apenas do banco BTG Pactual.

Os recursos já começaram a ser usados para suprir as linhas de financiamento da Solfácil para pessoas físicas, pequenos comércios e para produtores rurais. De acordo com a empresa, a meta é democratizar o acesso a energia fotovoltaica por meio de financiamento a longo prazo, com parcela menor do que a economia de energia.

A plataforma conta com mais de 7 mil integradores homologados e os projetos realizados são acompanhados por equipe de engenharia própria da Solfácil, para verificar a geração e as características do projeto prometidas. Segundo a empresa, com essa estratégia a inadimplência é mais baixa do que a média do setor. Isso teria criado as condições para a Solfácil fazer a captação de crédito, de várias modalidades de títulos verdes (debêntures de securitizadora, FIDC), a custo competitivo e prazos alongados.



Mais Notícias FOTOVOLT



Congresso aprova em dois dias o marco legal da geração distribuída

Nova lei, que pode ser sancionada pelo presidente da República antes do final do ano, deve impulsionar o crescimento do mercado de GD fotovoltaica no primeiro ano.

17/12/2021


Usina solar financiada com moeda digital começa as ser construída

Lançado em 15 de dezembro, projeto é o primeiro de uma série de usinas de 1 MW viabilizadas por meio de taxas de transação de moeda digital.

17/12/2021


AES lança robô pioneiro para acelerar construção de usinas solares

Empresa apresenta nos EUA o Atlas, que incorpora inteligência artificial e realiza instalação automática de módulos solares, agilizando programas de construção.

17/12/2021