Houve um aumento de 97% no número de projetos outorgados de usinas solares fotovoltaicas centralizadas, de grande porte, de março de 2022 a fevereiro de 2023, em comparação com o mesmo período anterior. A conclusão é do “Estudo Estratégico Grandes Usinas Solares 2023”, da consultoria Greener.

Segundo o estudo, no período foram 42,4 GW em novos projetos outorgados, chegando ao total de 86 GW. Em construção iniciada, porém, estão “apenas” 4,9 GW, que se somam a 7,5 GW em operação.

O estudo traz ainda outras demonstrações que ilustram o bom desempenho do mercado. Para atender a demanda crescente, por exemplo, os fabricantes de trackers (rastreadores solares) fecharam contratos superiores a 7 GWp, entre março de 2022 e abril de 2023, o que representa um crescimento de 56% em comparação com o mesmo período anterior.

Também há dados sobre os tipos de financiamento mais acessados pelos empreendedores. Nesse caso, os bancos de fomento BNB (Banco Nacional do Nordeste) e o BNDES continuam sendo as principais fontes de financiamento das grandes usinas solares, com um total de R$ 6,3 bilhões liberados em 2022.

Outro ponto que reflete o dinamismo do setor foi o elevado volume de contratos de compra de energia solar (PPAs, na sigla em inglês) no período estudado: 11,9 GWp. A publicação aponta, nesse caso, a variedade de tipos de consumidores envolvidos nas transações, desde empresas do setor de saúde, alimentício e de tecnologia.

O estudo está disponível para download gratuito no site da Greener: https://www.greener.com.br/sumario-executivo-estudo-gc-2023.



Mais Notícias FOTOVOLT



Fonte solar chega a 39 GW de potência instalada

Do total, 26,8 GW são de geração distribuída e mais 12,2 GW de usinas centralizadas.

23/02/2024


GreenYellow inaugura UFV para assinatura de energia solar em SP

A oferta do serviço será feita pela Sun Mobi e atenderá consumidores da área de concessão da Elektro.

23/02/2024


Qn-Solar vence grandes licitações na China

Empresa foi selecionada em licitações para aquisição de módulos fotovoltaicos pela CNNC (China National Nuclear Corporation) e pelo grupo China Energy Engineering.

23/02/2024