Se a limpeza constante de painéis solares fotovoltaicos pode, por um lado, evitar perdas de energia nas usinas que chegam a até 35% do gerado, por outro lado pode aumentar muito o custo operacional, caso a opção seja pela via convencional, com água, que, dependendo da localização, é um insumo caro e escasso.

Por essa razão, há empresas ofertando ao mercado solar – com bastante aceitação – soluções de limpeza sem água. A israelense Ecoppia é um exemplo: há sete anos fornece duas tecnologias robóticas para limpeza de painéis, hoje aplicadas em usinas de todo o mundo. Segundo a empresa, há mais de 2,4 GW de projetos já implantados que usam suas soluções e ainda um pipeline de 17 GW em contratos assinados para empregar as tecnologias de limpeza.

De acordo com a Ecoppia, seus sistemas já limparam nesse período mais de 2 bilhões de módulos, o que significou economia de 6 bilhões de litros d’água. Além de reduzirem o consumo de energia para a operação das bombas hidráulicas, a alta eficiência dos sistemas garantiu também o baixo nível de perdas de geração fotovoltaica por causa da remoção da sujeira dos painéis.

A empresa desenvolveu duas soluções. A primeira usa um sistema de robô por fileira de painéis, que se move ao longo de uma estrutura de alumínio rígido usando elementos macios de microfibra para a limpeza, e sobre rodas revestidas com poliuretano, para garantir movimento suave e nenhuma carga na superfície dos painéis.

O movimento dos robôs na execução da limpeza a seco com as microfibras se utiliza da gravidade para mover as partículas de poeira para baixo e para fora dos painéis. Cada robô de limpeza é alimentado por cinco motores – dois responsáveis pelo movimento horizontal ao longo da linha do painel, dois pelo movimento vertical para cima e para baixo e um responsável pela rotação dos elementos de microfibra.

Para contar com movimento suave para cima e para baixo, o robô usa sistema de guincho com dois fios de borracha de silicone flexíveis. A limpeza, realizada nos períodos noturnos, alcança taxa de 54 metros quadrados por 30 segundos. De preferência, a empresa sugere a limpeza nas primeiras horas de escuridão para evitar sombreamento durante as horas de geração de eletricidade.

O segundo sistema é um robô autônomo, que executa a limpeza com os mesmos elementos de microfibra com fluxo de ar controlado, de forma independente pelos painéis, por meio de sistema de sensores inteligentes que permitem que ele passe de um seguidor (tracker) para outro.



Mais Notícias FOTOVOLT



Energia solar fotovoltaica ultrapassa 8 GW no Brasil

No total, fonte já trouxe mais de R$ 40 bilhões em novos investimentos ao País e gerou mais de 240 mil empregos acumulados, segundo a Absolar.

04/03/2021


Nextracker vai fornecer rastreadores para complexo Janaúba

Acordo prevê 830 MW em equipamentos para o complexo da Elera de 1,2 GWp

04/03/2021


Webinar discute o trabalho feminino na área de energias renováveis

Especialistas do Brasil e do exterior vão debater a participação as mulheres na grande expansão de empregos prevista até 2050.

04/03/2021