A Cemig SIM, empresa de energia solar por assinatura e soluções em energia, começou a oferecer um novo serviço no mercado destinado principalmente a consumidores atendidos em média tensão. Trata-se da "minigeração" e "microgeração", modelos que permitem ao cliente ter sua própria central geradora a partir de fontes renováveis em suas dependências, conectada à rede da distribuidora responsável, permitindo a compensação do excedente. A companhia oferece a consultoria para implantação do projeto, desde a elaboração, passando pelo fornecimento dos módulos fotovoltaicos, até a conexão com a distribuidora. De acordo com João Paulo Campos, diretor comercial da Cemig SIM, as empresas têm buscado com mais intensidade a redução nos custos de energia, pois isso se reflete como diferencial competitivo. “A solução de geração de energia por meio de uma usina própria é uma grande oportunidade de ampliar a eficiência das empresas”, afirma.

Além da economia com a conta de eletricidade, a companhia cita como benefícios do modelo a proteção contra eventuais variações de tarifa. O foco do novo produto são clientes A4, como supermercados, grandes padarias, pequenas e médias indústrias e clínicas. Segundo Campos, o investimento médio feito pelos contratantes é diretamente proporcional ao consumo de energia de cada empresa. “Temos projetos de R$ 50 mil até grandes empreendimentos de mais de R$ 2 milhões”. De acordo com Willian Souza, executivo de Soluções em Energia da Cemig SIM, a economia pode chegar até 95% na tarifa de energia e o prazo médio para retorno do investimento varia de três a cinco anos, o que considera um período curto, tendo em vista que a vida útil dos módulos fotovoltaicos é de 25 anos. “O cliente continuará arcando integralmente apenas com o custo da demanda. Tenho certeza de que reduzir custos operacionais será de grande ajuda para que os empreendedores possam se reerguer rapidamente após esse momento delicado que estamos vivenciando", diz.

A Cemig já oferecia no mercado o modelo de negócios da geração distribuída compartilhada com foco no cliente de baixa tensão. De acordo com a empresa, o segmento A4, cuja demanda contratada é abaixo de 500 kW, não era atendido pela GD compartilhada e nem pelo mercado livre de energia. “Levaremos a este cliente então a solução para que ele gere sua própria energia”, destaca Campos.
A Cemig SIM conta com parcerias com fornecedores de materiais e serviços para realização dos projetos. Segundo a empresa, a implantação é rápida, levando em torno de quatro a seis meses para início da geração, e há parcerias em andamento com instituições financeiras para facilitar a captação desses clientes. “Não descartamos também a possibilidade de a própria Cemig SIM financiar projetos mais robustos”, afirma Campos.
Ainda segundo o diretor comercial da Cemig SIM, a crise provocada pela pandemia será uma grande oportunidade de oferecer um produto que proporciona a redução dos custos de energia. “Esta solução poderá promover o equilíbrio necessário aos negócios dos clientes, sejam eles comerciais ou industriais”, conclui.



Mais Notícias FOTOVOLT



Transição energética faz Intersolar Europe bater recorde de público

Demanda em alta por soluções para a transição atraiu 33% a mais de pessoas a Munique, em retomada do evento depois do início da pandemia.

20/05/2022


AIE prevê mais 190 GW de solar FV em 2022

Fonte baterá novo recorde, respondendo por 60% de todas as novas adições de renováveis no ano. Em 2023, previsão é chegar a 200 GW.

19/05/2022


Como sistemas FV residenciais podem ter performance superior com os inversores SOFAR?

Modelo da empresa suporta módulos de correntes mais elevadas e produz 30% mais energia.

20/05/2022