A comercializadora Tradener, de Curitiba (PR), iniciou em 25 de julho exportação de energia para a Argentina. Autorizada pela portaria do Ministério de Minas e Energia (MME) 272/2020, publicada em 9 de julho, a empresa passou a ser responsável pela comercialização com o país vizinho de energia de geradores térmicos qualificados.

De início, as geradoras qualificadas para a operação foram a EDF Norte Fluminense, Engie e a Usina Elétrica a Gás de Araucária (foto), da Copel. A partir do dia 29, entrou em operação também para suprir a demanda argentina a Usina Âmbar, da J&F, em Cuiabá (MT).

Em contrato direto com o operador do sistema energético argentino, a Cammesa - Compañía Administradora del Mercado Mayorista Eléctrico S.A., a exportação é feita por meio das usinas conversoras nacionais Garabi I e II, em Garruchos (RS), com até 2200 MW de potência e respectiva energia elétrica associada. A autorização para exportação à Argentina também permite que a Tradener utilize a estação conversora de frequência de Uruguaiana, de até 50 MW de potência e energia associada, no município homônimo na fronteira com a Argentina.

Segundo o presidente da Tradener, Walfrido Ávila, a negociação, que deve gerar por volta de US$ 20 milhões semanais, contou com a participação do Banco Itaú e da Junto Seguradora, do grupo do Paraná Banco, que garantiram a operação. Foi importante também, de acordo com ele, o apoio da CCEE-Câmara de Comercialização de Energia Elétrica e do ONS - Operador Nacional do Sistema, que coordenaram as operações.

A Tradener está autorizada pela portaria a exportar energia de forma ininterrupta até 31 de dezembro de 2022. A portaria 272/2020, além de viabilizar o novo contrato, renova um tipo de comercialização que a empresa já faz desde 2006, exportando e importando energia da Argentina e do Uruguai. A Tradener é remunerada pela operação pelos geradores brasileiros.

A autorização do MME permitirá também venda futura de energia para o Uruguai, a ser realizada por meio da estação conversora de frequência de Rivera, de até 70 MW, localizada entre os municípios de Rivera, no Uruguai, e Santana do Livramento, no Brasil, e pela conversora de Melo, Uruguai, de até 500 MW de potência, próxima de Jaguarão (RS). A Tradener ainda não divulgou as novas negociações com o Uruguai.

Por dados do ONS, a exportação de 25 de julho para a Argentina envolveu a programação de 697 MWmédios de geração térmica no SIN e foi a primeira sob as regras da Portaria MME 418/2019, que prevê exportação interruptível para Argentina e Uruguai proveniente de usinas termelétricas despachadas de forma centralizada pelo operador nacional e disponíveis ao SIN,e que não estejam despachando por ordem de mérito ou por garantia de suprimento energético.

A íntegra da portaria 272/2020 está disponível em https://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-272-de-2-de-julho-de-2020-265940471



Mais Notícias EM



Começa hoje a Semana da Eficiência Energética

Webinars vão discutir e apresentar soluções de uso eficiente de energia em edificações, instalações de saneamento, data-centers e na indústria de plásticos.

26/10/2020


Aneel abre consulta pública para regulamentar usinas híbridas

Contribuições podem ser enviadas até o dia 4 de dezembro. Intenção da agência é aproveitar melhor a rede com a complementaridade das fontes

23/10/2020


GM lança picape 100% elétrica nos EUA

A Hummer EV tem 1000 cavalos de potência e autonomia, com recarga total, de 560 km

23/10/2020