As indústrias do setor eletroeletrônico estão direcionando suas linhas de produção para a fabricação de ventiladores pulmonares (respiradores), aparelhos que ajudam no tratamento dos pacientes infectados pelo Covid-19, além de outras iniciativas para apoiar o trabalho das autoridades em relação à pandemia.

Entre os exemplos está a multinacional WEG S.A., produtora de equipamentos elétricos e de automação e de tintas, que utilizará a estrutura de suas fábricas em Jaraguá do Sul, Santa Catarina, para produzir respiradores artificiais para pacientes com Covid-19. A empresa assinou acordo de transferência de tecnologia com a empresa Leistung Equipamentos, fabricante de equipamentos hospitalares. O contrato, assinado entre as empresas, concede à WEG a licença para produzir o respirador com ventilação mecânica pulmonar Luft-3 da Leistung.

O plano é viabilizar de imediato a compra de todos os componentes necessários para produzir 500 respiradores. Uma vez instalada a linha de produção pela WEG, a companhia terá capacidade estimada de fabricar 50 respiradores por dia e de fazer as entregas na segunda quinzena de maio.

A WEG também anunciou que vai produzir e doar álcool gel 70% aos hospitais públicos de Jaraguá do Sul e Guaramirim, em Santa Catarina. A produção será realizada na fábrica de tintas e vernizes da companhia, em Guaramirim, SC, e o objetivo é suprir as necessidades de alguns hospitais que enfrentam problemas de abastecimento do produto.

Outra organização na linha de frente da luta é o Grupo Luminae Energia, da área de sistemas de iluminação energeticamente eficiente, que está produzindo diariamente 5000 máscaras descartáveis e reutilizáveis para distribuição gratuita a asilos, instituições de auxílio a pessoas em situação de alto risco (como pacientes em tratamento de câncer), funcionários de estabelecimentos de funcionamento essencial, como supermercados e farmácias, além dos seus colaboradores da própria empresa e de seus familiares. Em menos de uma semana a Luminae adaptou parte de sua fábrica de luminárias e lâmpadas LED, contratou pessoal e adquiriu 27 equipamentos entre máquinas de costura e seladoras para produzir as máscaras. Com uma outra máquina 100% automatizada que receberá em breve, a empresa espera aumentar a produção para até 80 mil itens no próximo mês. No total, 60 colaboradores diretos e 100 indiretos estão dedicados à produção dos itens de proteção.



Mais Notícias EM



Novo disjuntor de estado sólido é aprovado pela UL nos EUA

Empresa consolida segunda geração de seu disjuntor totalmente digital e faz investida pesada no mercado de mobilidade elétrica. Dispositivo pode ser até 3000 vezes mais rápido que os termomagnéticos.

03/07/2020


Conta COVID: lista dos bancos participantes chega à CCEE

Câmara aguarda declarações das distribuidoras interessadas em aderir à medida. Primeiros repasses devem ocorrer ainda este mês.

03/07/2020


Belo Horizonte já modernizou 95% de sua iluminação pública

Empresa parceira da PPP com a prefeitura pretende concluir a instalação de luminárias LED em 100% dos pontos de luz até outubro. Sistema conta com telegestão e telemedição. Contrato de operação é de 20 anos.

03/07/2020