A 2W Energia, comercializadora de energia e empreendedora em energia renovável, assinou contrato de financiamento com a gestora de investimentos Darby International Capital. O acordo é para aporte de US$ 45 milhões (R$ 252 milhões), direcionado para o projeto eólico Anemus, no Rio Grande do Norte, e outros investimentos da 2W. A Darby é uma gestora de fundos de private debt dos Estados Unidos, com atuação em toda a América Latina, que investe em companhias com potencial de crescimento.

A maior parte dos recursos será utilizada em capex do projeto Anemus, para a compra e implantação de 33 aerogeradores com capacidade instalada de 138,6 MW. A energia será destinada principalmente aos clientes da divisão de varejo da comercializadora da 2W, voltada para pequenas e médias empresas. O projeto também contará com investimentos de capital próprio e com dívida de longo prazo estruturada com o banco BTG Pactual.

O financiamento da Darby inclui ainda cerca de US$ 10 milhões (R$ 56 milhões) para investimentos em outros projetos. Segundo a 2W, este montante poderá ser convertido em novas ações da empresa, para o momento em que houver algum evento de liquidez. 

O plano de negócios da 2W Energia prevê ainda a construção de projetos eólicos e solares até 2024, nos estados do Rio Grande do Norte e Ceará, atingindo capacidade instalada de 1,1 GW e capex total de cerca de R$ 4,5 bilhões. A geração de energia do grupo será direcionada para a comercialização no mercado livre, ambiente no qual a 2W detém mais de 2150 clientes. A expectativa da empresa é adicionar cerca de 1000 novos clientes nos próximos anos.



Mais Notícias EM



AES Brasil abre novo ciclo de aceleração de startups

Programa visa apoiar projetos que ajudem o grupo de energia a se preparar para crescimento.

30/04/2021


Aneel abre chamada pública para edital de leilão de transmissão

Documento em análise contempla licitação de quatro lotes de certame que ocorrerá em 17 de dezembro.

30/04/2021


Votorantim cria curso técnico de renováveis no sertão pernambucano

Ideia é formar mão de obra local para região com mais de 1800 empreendimentos em operação ou construção, entre usinas eólicas e solares, e fornecedores da cadeia.

30/04/2021