A Equatorial foi a vencedora do leilão de privatização da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul, a CEEE-D, realizado no dia 31 de março na bolsa de valores, a B3. A proposta foi a única apresentada, com ágio de 100%, no valor de R$ 100 mil, o dobro do lance mínimo estabelecido pelo certame.

O valor quase simbólico do lance se explica pelo fato de a Equatorial assumir, com o controle, uma dívida perto de R$ 3,5 bilhões da CEEE-D, a maior parte referente a ICMS devido ao estado gaúcho pela concessionária. As ações ofertadas eram de propriedade da Companhia Estadual de Energia Elétrica e Participações (CEE-Par) e representam 65,92% do capital social total da CEEE-D, que atende 1,8 milhão de consumidores em 72 municípios do Rio Grande do Sul.

A Equatorial tem quatro concessões de distribuição de energia, todas elas no Nordeste do País: a Cemar, do Maranhão, a Celpa, do Pará, a Equatorial Piauí e a Equatorial Alagoas. A estimativa é a de que a transferência do controle da CEEE-D seja concluída em 60 a 90 dias.

O governo gaúcho pretende desestatizar todas suas empresas de energia. Ainda neste semestre será a vez da área de transmissão, cuja CEEE-T será leiloada provavelmente em julho e, no terceiro trimestre do ano, a área de geração, com o leilão da CEEE-G. Ambas as privatizações já foram modeladas com a coordenação do BNDES.



Mais Notícias EM



Consumo de energia aumentou em março

Mesmo com agravamento da pandemia e maior distanciamento social, consumo foi 5,5% maior do que março do ano passado.

16/04/2021


Enel adota aplicativo para pagamento de conta de luz em SP

Distribuidora fechou parceria com a PicPay e concede créditos para primeiros consumidores que adotarem o pagamento digital.

16/04/2021


2W Energia capta recursos para erguer eólica

Financiamento da gestora Darby será para o complexo Anemus, no Rio Grande do Norte.

16/04/2021