Com seu mercado com potencial de R$ 27,8 bilhões — valor correspondente à virtual modernização dos quase 19 milhões de pontos de luz do País, segundo levantamento do Banco Mundial —, a iluminação pública vem despertando interesse crescente de investidores e empresas de outros segmentos. A Brametal, que atua principalmente na área de estruturas metálicas para redes de transmissão de energia elétrica, anunciou recentemente o início de fabricação de postes, braços e suportes de iluminação pública, atraída por um mercado que fatura aproximadamente R$ 300 milhões por ano. “Prevemos faturar já neste ano R$ 58 milhões no segmento, correspondentes a 20% do mercado, e nosso planejamento é chegar a 50% em cinco anos”, informa o diretor Comercial e de Marketing da empresa, Alexandre Queiroz Schmidt.

A Brametal está investindo R$ 8 milhões na montagem da nova fábrica, sendo a maior parte dos recursos destinados à compra de máquinas no Brasil e no exterior, pincipalmente para dobra dos perfis de aço. A fábrica está sendo instalada na unidade da empresa em Linhares, no Espírito Santo (a empresa tem outras unidades fabris, em Criciúma, SC, e Sabará, MG), num espaço antes destinado a suprimentos e almoxarifado, transferidos para outro local. Também foi estruturado um time de engenharia e uma equipe de vendas e marketing com experiência na área, além de 15 representantes que já atuavam com outras marcas no setor de IP. O novo negócio terá como gerente comercial Ernesto Ullrich, que possui 25 anos de experiência em vendas no segmento de iluminação pública e, segundo a empresa, é especialista em migração para tecnologia LED e em automação e telegestão de IP.

A empresa também contratou uma assessoria de marketing técnico para fazer o planejamento estratégico da atuação no novo mercado. “Chegaremos prontos”, diz Alexandre Schmidt.  Uma das principais formas de atuação será a parceria com empresas vencedoras das licitações PPPs de iluminação pública das prefeituras.

De acordo com Schmidt, a fábrica ficará pronta em junho, mas a produção de braços e suportes terá início já em março. O diretor destaca ainda o design dos novos itens, inteiramente elaborado pela engenharia da Brametal, que resultou em produtos “mais resistentes e mais leves”. Um dos diferenciais é a galvanização própria a fogo, uma vez que a empresa á uma das maiores galvanizadoras das Américas, com cinco linhas de galvanização.

A produção da Brametal ultrapassa 180 mil toneladas/ano, e seu faturamento em 2020 foi de R$ 1,2 bilhão, sendo 95% provenientes do mercado de transmissão elétrica e o restante dividido entre os de telecomunicações e geração de energias renováveis, com o fornecimento de estruturas de suporte. Uma vantagem adicional da nova fábrica de produtos para IP é que as máquinas adquiridas são adequadas também a produção de estruturas para sistemas solares fotovoltaicos, informa Schmidt. “Com a demanda prevista para os próximos anos de energia solar, vai faltar fábrica no Brasil. As novas máquinas vão permitir um aumento da capacidade de estruturas para FV e acelerar a produção.”



Mais Notícias EM



Consumo de energia aumentou em março

Mesmo com agravamento da pandemia e maior distanciamento social, consumo foi 5,5% maior do que março do ano passado.

16/04/2021


Enel adota aplicativo para pagamento de conta de luz em SP

Distribuidora fechou parceria com a PicPay e concede créditos para primeiros consumidores que adotarem o pagamento digital.

16/04/2021


2W Energia capta recursos para erguer eólica

Financiamento da gestora Darby será para o complexo Anemus, no Rio Grande do Norte.

16/04/2021