A BR Distribuidora concluiu a aquisição da comercializadora de energia Targus Energia, o que marca a entrada definitiva da maior distribuidora de combustíveis do País nesse novo segmento de mercado. A negociação tornou a BR sócia majoritária do grupo Targus Energia e, após a conclusão de todos os aportes previstos para até 31 de dezembro 2021, será detentora de 70% do seu capital social.

Além disso, foi firmado também acordo de acionistas com os atuais sócios da Targus, com prazo de 15 anos, que prevê, entre outros direitos e obrigações, opções de compra para aquisição dos 30% da participação societária remanescente.

A ideia da BR é ofertar um produto adicional dentro do seu portfólio para demandas de energia, com produtos e serviços para o mercado livre e energia, de geração distribuída e, no médio prazo, para soluções ligadas ao futuro mercado livre de gás. O portfólio terá escala nacional e visa todos os tipos de consumidores: para os de menor consumo, residenciais, comerciais ou industriais, o foco inicial será a geração distribuída, e para médios e grandes, a comercialização no mercado livre de energia.

Faz parte da estratégia comercial ofertar os novos produtos para aproximadamente 14 mil grandes clientes da BR de variados segmentos e para os quase 8 mil postos da rede da companhia. Será ofertado, para começar, suporte integral para a migração para o mercado livre, desde a adequação do sistema de medição até adesão à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE. Além disso, o serviço também inclui assessoria após o início das suas operações no ACL, com previsões de cenários orçamentários e simulações e a gestão de consumidores e geradores no mercado livre, além de gerenciamento da eficiência energética e proposta de ações de sustentabilidade.

Para clientes com menor consumo de energia, principalmente os conectados à baixa tensão (os quais ainda não podem migrar ao ACL), a BR oferecerá a possibilidade de ter acesso direto a energia de fontes renováveis, principalmente solar e pequenas centrais hidrelétricas, por meio de adesão a consórcio para receber os créditos de compensação na conta de energia.



Mais Notícias EM



Consumo de energia aumentou em março

Mesmo com agravamento da pandemia e maior distanciamento social, consumo foi 5,5% maior do que março do ano passado.

16/04/2021


Enel adota aplicativo para pagamento de conta de luz em SP

Distribuidora fechou parceria com a PicPay e concede créditos para primeiros consumidores que adotarem o pagamento digital.

16/04/2021


2W Energia capta recursos para erguer eólica

Financiamento da gestora Darby será para o complexo Anemus, no Rio Grande do Norte.

16/04/2021