Duas empresas dos Estados Unidos, a Switch, especializada em infraestrutura tecnológica, e a Capital Dynamics, de gestão de ativos, anunciaram o projeto da maior usina híbrida solar com baterias no sistema behind-the-meter (atrás do medidor, em tradução livre do inglês) do mundo, ou seja, cuja energia gerada será utilizada sem o uso da rede pública. No condado de Storey, em Nevada, a potência instalada da usina será de 127 MW, com baterias para armazenar 240 MWh.

A unidade de Storey faz parte do projeto Gigawatt 1, da Switch, que contempla mais três usinas solares com baterias, sendo duas delas anunciadas nessa mesma fase de investimentos, no condado de Clark, em Nevada, e uma outra, a primeira do projeto, denominada Townsite Solar Project, em Boulder, também no mesmo estado norte-americano, formalizada em agosto do ano passado, com geração solar de 180 MW e armazenamento de 360 MWh.

Quando todas as quatro usinas entrarem em operação, os investidores estimam ter uma das maiores plataformas de geração híbrida solar do mundo, com 555 MW de energia gerada e 800 MWh de armazenamento nas baterias. O investimento total no projeto Gigawatt 1 é de US$ 1,3 bilhão e visa atingir 1 GW de capacidade instalada, para suprir de energia o equivalente a 1 milhão de residências.

Os painéis solares das usinas estão sendo construídos pela empresa norte-americana First Solar e as baterias pela Tesla, em sua fábrica Gigactory, no mesmo condado de Storey onde estará a usina behind-the-meter. O modelo de bateria é o modular Tesla Megapack, de alta capacidade de armazenamento. O integrador das usinas será a empresa Con Edison Clean Energy.

Com foco em contratos corporativos, o projeto Gigawatt 1, criado pelo fundador da Switch, Rob Roy, em 2015, tem a meta de garantir energia barata, o que será possível com as usinas híbridas, segundo comunicado da empresa. O custo da energia será em torno de 5 centavos de dólar o kWh.

Por trás da viabilidade do projeto da Switch, empresa de tecnologia que antes desse investimento Gigawatt 1 era especializada em data centers, está a expertise da Capital Dynamics, responsável pela gestão de investimentos de US$ 6,4 bilhões em energia renovável em todo o mundo. A estratégia da empresa nessa área tem sido capturar oportunidades de investimentos em geração distribuída, solar, eólica e armazenamento, gerenciando atualmente 7,3 GW em mais de 100 projetos nos Estados Unidos e Europa.

Mais informações sobre o projeto Gigawatt 1: https://www.switch.com/switch-announces-rob-roys-gigawatt-nevada-largest-solar-project-united-states/



Mais Notícias FOTOVOLT



Retirada de incentivos de GD reduziria investimentos em R$ 20 bi

Em dois cenários para 2030, com retirada parcial e total de incentivos, EPE identifica redução potencial de 11 GW e 19 GW da capacidade futura em comparação com cenário sem mudanças.

18/09/2020


Pontos quânticos começam a sair do papel em vidros solares

Semicondutores em escala nano geram células fotovoltaicas transparentes, que podem ser usadas em vidro de janelas e fachadas.

18/09/2020


Cepel instala tecnologias para analisar redes inteligentes com FV

Com bancadas HIL e de avaliação de conformidade, o centro de pesquisas pretende contribuir na definição de funções avançadas de equipamentos como inversores fotovoltaicos. Microrredes também estão no escopo.

17/09/2020