A startup Clarke Energia, especializada em gestão digital de conta de energia, foi financiada em R$ 3 milhões em uma operação liderada pela Canary, gestora de fundo de investimento para empresas de inovação, que teve a participação da EDP Ventures Brasil, empresa do grupo de energia português que funciona como veículo de investimento de capital de risco (corporate venture capital).

A Clarke Energia, de São Paulo, foi criada em dezembro de 2019, para orientar empresas a economizar na conta de energia por meio de estudos tarifários, eficiência energética, monitoramento de consumo ou compra de energia no mercado livre. Segundo a empresa, com o serviço de consultoria é possível, em média, uma redução de 10% a 20% na conta mensal com a identificação de ineficiências tarifárias. Há casos em que a economia chega a 30%, ainda de acordo com a empresa.

A startup consegue simular, com ferramentas analíticas, o quanto a empresa economizaria se migrasse para a modalidade de tarifa branca, pelo qual é possível modular o consumo conforme os períodos do dia, em horários de ponta, fora de ponta e intermediário, o que sempre foi possível na média e alta tensão. A partir de 2020, essa possibilidade passou a valer também como opção para todas as unidades de baixa tensão, como residências e comércios.

Já tendo como clientes pequenas e médias empresas da área de alimentos, concessionárias de carros e outros comércios, a Clarke espera com o apoio da EDP Ventures Capital, além do aporte financeiro, também contar com a experiência do grupo na área de energia. Haveria sinergia, por exemplo, na área de comercialização. Além disso, todo o portfólio e expertise técnico da EDP, que atua em praticamente todos segmentos do setor elétrico, desde geração, transmissão e serviços de energia, pode agregar conhecimento para a Clarke, cujo serviço é remunerado por parte da economia obtida.

A EDP Ventures Brasil foi criada em maio de 2018 com capital inicial de R$ 30 milhões para uso em startups das áreas de energia renovável, redes inteligentes, armazenamento de energia, inovação digital, soluções com foco no cliente e áreas transversais (fintechs, legaltechs e Hrtechs). Além da Clarke, já receberam aporte as startups Voltbras, Colab, Dom Rock, Delfos e Fractal Engenharia e Sistemas.

Desde 2008, os veículos de venture capital do grupo EDP aplicaram globalmente 38 milhões de euros em 33 startups, que juntas empregam mais de 1200 colaboradores e têm mais de 140 milhões de euros de receita por ano.



Mais Notícias EM



Eólica é a fonte renovável mais barata do Brasil

Levantamento da CCEE, que analisa os últimos cinco anos, mostrou que o custo final das usinas eólicas é o mais baixo

18/09/2020


Engie faz leilões eletrônicos para compra de energia

Grupo francês quer contratar energia de fonte incentivada para suprir o mercado livre

18/09/2020


Créditos tributários poderão reduzir tarifas de energia

Levantamento aponta que o caixa das distribuidoras receberá R$ 51,2 bilhões para reposicionar tarifas como forma de abater cobranças a maior

18/09/2020