A Form Energy, empresa norte-americaba que desenvolve sistemas de armazenamento de energia para redes elétricas, anunciou recentemente um contrato com a concessionária Great River Energy, de Minnesota, para um projeto piloto conjunto de 1 MW/150 MWh em Cambridge. A Great River Energy é a segunda maior concessionária de energia elétrica daquele estado e a quinta maior cooperativa de geração e transmissão nos EUA.

O sistema será a primeira instalação comercial do sistema de armazenamento de energia de baixo custo e longa duração desenvolvido pela Form Energy, patenteado no mês passado. O sistema, chamado de “aqueous air” pela empresa (provavelmente baseado em “enxofre aquoso”, segundo especialistas), utiliza “materiais que estão entre os mais seguros, baratos e abundantes do Planeta”, afirma a Form Energy. A tecnologia desenvolvida basicamente permite à bateria fazer a reação química de anodo e catodo usando o ar.

O projeto da Great River Energy será um sistema de 1 MW conectado à rede e, segundo as parceiras, poderá fornecer sua potência nominal continuamente por um período de 150 horas, muito superior ao período típico de descarga das baterias de íon de lítio usuais, que varia de duas a quatro horas. Essa longa duração permite fornecer à rede confiabilidade inédita com sistemas de armazenamento, até aqui disponível apenas a partir de recursos de geração térmica.

Antes da decisão de implantar o projeto piloto, a Form Energy conduziu um estudo de otimização de portfólio das características do sistema da Great River Energy com o Formware, uma plataforma proprietária de análise de software que auxilia os planejadores a modelar redes futuras. O Formware foi desenvolvido especificamente para modelar energias renováveis ​​de alta penetração ao nível de sistema e determinar como os vários tipos de armazenamento permitem a integração de energia renovável a baixo custo. A ferramenta ajuda os planejadores a reduzir a exposição a eventos climáticos extremos e minimizar incertezas em relação aos preços das commodities em uma variedade de cenários futuros de rede.

A rede elétrica é cada vez mais suprida por fontes renováveis ​​de energia, e um armazenamento de longa duração comercialmente viável aumenta a confiabilidade, assegurando que essa energia esteja disponível o tempo todo. “Esse armazenamento de longa duração pode ser particularmente importante durante condições climáticas extremas que duram vários dias, além de oferecer um excelente hedge contra os preços voláteis de energia”, disse o vice-presidente da Great River Energy, Jon Brekke.

A Great River anunciou planos para fazer a transição de seu portfólio de energia nos próximos anos. A empresa planeja eliminar gradualmente sua geração elétrica remanescente a carvão e adicionar quantidade significativa de energia renovável, além de formar parceria com a Form Energy na nova tecnologia de baterias.

"As soluções de armazenamento de energia de longa duração desempenharão um papel totalmente diferente do dos sistemas de armazenamento de grande escala com baterias atuais. As baterias de íons de lítio são adequadas para fornecimento  imediato de grande quantidade de energia, mas ficam sem carga após apenas algumas horas. Uma verdadeira solução de armazenamento de baixo capaz de fornecer durante dias seguidos preencheria lacunas da produção de energia eólica e solar que hoje exigem o acionamento de usinas térmicas. Poderia tornar realidade sistemas elétricos 100% renováveis, confiáveis e acessíveis", disse Jesse Jenkins, professor assistente da Universidade de Princeton, que estuda sistemas de energia de baixo carbono.

Fundada em 2017, a Form Energy levantou mais de US $ 50 milhões em financiamento. A empresa é apoiada pelos investidores Eni Next LLC, The Engine, MIT, Breakthrough Energy Ventures (fundada por Bill Gates), Prelude Ventures, Capricorn Investment Group e Macquarie Capital. Também recebeu em 2018 suporte financeiro da Agência para Projetos de Pesquisa Avançada- Energia (ARPA-E, na sigla em inglês) do governo dos EUA.



Mais Notícias EM



Novo disjuntor de estado sólido é aprovado pela UL nos EUA

Empresa consolida segunda geração de seu disjuntor totalmente digital e faz investida pesada no mercado de mobilidade elétrica. Dispositivo pode ser até 3000 vezes mais rápido que os termomagnéticos.

03/07/2020


Conta COVID: lista dos bancos participantes chega à CCEE

Câmara aguarda declarações das distribuidoras interessadas em aderir à medida. Primeiros repasses devem ocorrer ainda este mês.

03/07/2020


Belo Horizonte já modernizou 95% de sua iluminação pública

Empresa parceira da PPP com a prefeitura pretende concluir a instalação de luminárias LED em 100% dos pontos de luz até outubro. Sistema conta com telegestão e telemedição. Contrato de operação é de 20 anos.

03/07/2020