A Eletrobras Termonuclear (Eletronuclear) realizou dia 29 de junho sessão pública para a abertura das propostas da licitação para os serviços de obras civis e de parte da montagem eletromecânica da usina de Angra 3. A contratação visa adiantar atividades de construção antes da Eletronuclear contratar o epcista que irá empreender a obra global da usina. Como o proponente melhor classificado ainda apresentará os documentos de habilitação, não foi comunicado o nome do primeiro colocado. Após isso, será agendada nova sessão para informar o resultado aos licitantes e abrir prazo para recursos.

Em 2020, a Eletrobras liberou R$ 1 bilhão à Eletronuclear para a realização desses serviços. Para 2021, estão previstos R$ 2,4 bilhões adicionais, dos quais R$ 850 milhões já foram liberados. Entre as principais medidas que constam nessa etapa está a conclusão da superestrutura de concreto do edifício do reator de Angra 3. Além disso, será feita uma parte importante da montagem eletromecânica, que inclui o fechamento da esfera de aço da contenção e a instalação da piscina de combustíveis usados, da ponte polar e do guindaste do semipórtico.

A expectativa da Eletronuclear é que o contrato com a empresa vencedora da licitação seja assinado no segundo semestre e a retomada das obras ocorra até o final deste ano. O índice atual de conclusão da construção de Angra 3 é de 65% e a Eletronuclear prevê que a usina entre em operação em novembro de 2026.



Mais Notícias EM



Acciona compra projetos eólicos no Brasil

Grupo espanhol vai investir R$ 5 bilhões em dois parques na Bahia

03/12/2021


Aneel aprova regulamentação de usinas híbridas

Normativa vai permitir complementaridade das fontes com uso de mesmo contrato de uso do sistema de transmissão

03/12/2021


Carga de energia deve crescer 3,4% ao ano até 2026

Projeção conta com ambiente de estabilidade econômica depois de 2022

03/12/2021