A Abrint – Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações tem trabalhado desde 2019 na atualização de municípios que possuem o backhaul de fibra, rede apropriada para receber as faixas de frequência para utilização do 5G, para abastecer a lista da Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações, que até meados de abril ainda estava desatualizada, e evitar que o investimento do dinheiro público não seja duplicado nessas localidades. Agora, com a listagem inteirada, a associação retoma a campanha, já que 380 sedes de municípios e 2151 locais, supostamente, não dispõem da infraestrutura.

Para participar, os associados da Abrint devem acessar a ferramenta, que permite aos provedores regionais informarem se realmente há ou não a rede nas localidades identificadas pela Anatel. Com isso, a associação irá protocolar junto à agência reguladora a sinalização de inconsistência na lista publicada.

“O trabalho é importante porque permitirá ao órgão regulador alocar as contrapartidas de investimento em backhaul de fibra dos vencedores da faixa exclusivamente aos municípios que realmente ainda não têm essa infraestrutura, atendendo o objetivo da política pública que é melhorar a conectividade do país”, explica Alessandra Lugato, diretora executiva da Abrint.

A nova fase da campanha deverá durar menos de três meses. A Anatel deu o prazo de 90 dias para que as associações e provedores se manifestem formalmente. Para acompanhar a atualização em tempo real acesse: https://bit.ly/2RAWfWs.



Mais Notícias RTI



O avanço das Redes Neutras no mercado de telecom e as soluções Precon para ISPs

Nos últimos anos, temos percebido que o segmento de redes ópticas vem se destacando de um modo muito acelerado e começa a fazer parte de um fenômeno mundial, conhecido como Economia Compartilhada.

29/11/2021


Tencent Cloud anuncia primeiro data center no Brasil

São Paulo foi a cidade escolhida pelo grupo chinês para atender o mercado latino-americano.

29/11/2021


Regulamento de bloqueadores de sinais é tema de consulta pública

Proposta permite que o uso de bloqueadores seja ampliado para portos e aeroportos, áreas de segurança pública ou militares, entre outros locais.

29/11/2021