A Claro, operadora de rede móvel, está fechando parcerias com clientes corporativos e empresas do ecossistema de inovação aberta. O objetivo é demonstrar as potencialidades da tecnologia 5G para a indústria 4.0 e colaborar na criação de novas soluções e produtos.

Dentro desta filosofia, a operadora participa do Open Lab WEG/V2COM, instalando uma rede 5G em uma fábrica da WEG com alto nível de automação em Jaraguá do Sul, SC. O projeto conta com a participação do BeOn, hub de inovação da Claro, e com a colaboração da Ericsson e da Qualcomm.

O Open Lab WEG/V2COM é o primeiro projeto piloto viabilizado pelo Acordo de Cooperação Técnica. Assinado em novembro de 2020, o acordo entre a ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial e a Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações visa testar a aplicação do 5G em redes privativas para uso industrial.

“Somos a operadora que implementará a rede 5G na WEG e liderará o esforço, juntamente com a Ericsson e a Qualcomm, para o desenvolvimento de provas de conceito pioneiras no país”, diz Eduardo Polidoro, diretor de IoT – Internet das Coisas da Claro. “Estamos fortemente comprometidos com a transformação digital e queremos construir, juntamente com nossos parceiros, as oportunidades para entregar não só a conectividade, mas múltiplas soluções de IoT e uma melhor experiência da rede. Entre as aplicações testadas estão leitura e monitoramento de sensores, acionamento remoto de dispositivos baseado na informação dos sensores, aplicações multimídia, controle de robôs e máquinas de forma remota, entre outras. Este projeto reforça a colaboração de longa data entre a Claro e a indústria”, explica Polidoro.

Um dos objetivos da parceria é avaliar o desempenho de aplicações IoT utilizando a tecnologia 5G, principalmente a conexão de dispositivos com a rede celular de 5ª geração, avaliando o throughput (velocidade de dados) e latência mais adequados a cada caso de uso. Também será feita a validação da faixa de frequência sub-6, de 3,5 GHz, além de testes de integração e interoperabilidade.

“O 5G irá expandir o mercado celular no segmento IoT industrial, fornecendo novos recursos, como alta confiabilidade e soluções de rede orientadas às necessidades do negócio. As redes LTE disponíveis atualmente já podem servir a muitos casos de uso, ao mesmo tempo em que apresentam um roadmap para 5G que trará funcionalidades adicionais e otimizações para a Indústria 4.0”, finaliza André Sarcinelli, diretor de engenharia da Claro.







Mais Notícias RTI



Intelbras anuncia aquisição da catarinense Khomp

Empresa está investindo R$ 460 milhões para acelerar expansão nos próximos 18 meses.

12/04/2021


Link Cariri quer formar times de mulheres para instalação de fibra em campo

Serviços incluem suporte técnico e fusão de fibra.

12/04/2021


Lumiun desenvolve filtro de DNS para provedor em modelo SVA

Provedor pode oferecer ao assinante controle de acesso à Internet com benefícios fiscais.

12/04/2021