A InterNexa, operadora de telecomunicações colombiana com rede de fibra óptica na América Latina e Estados Unidos, fechou um contrato com a Padtec para aumentar a capacidade de transmissão de suas redes DWDM – Dense Wavelength Division Multiplexing entre São Paulo e Rio de Janeiro.

Para atender ao aumento da demanda por altas taxas de transmissão, a InterNexa Brasil utilizou sistemas da Padtec para iluminar novos canais livres de sua rede óptica instalada (Alien Wavelength), com taxas de transmissão de até 300 Gbit/s. No total, os canais ópticos iluminados cruzam mais de 650 quilômetros, interligando os principais data centers e estações submarinas das capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Carlos Gaviria, diretor-presidente da InterNexa Brasil, afirma que a demanda cada vez maior do mercado por banda e velocidade exige a intensificação do investimento em infraestrutura de alta capacidade. “Por atuar em um setor atento às evoluções tecnológicas, a InterNexa está sempre pesquisando e analisando as tecnologias, de modo a escolher a que melhor atende às demandas do mercado”, explica.

Para iluminar a nova rota da operadora, a Padtec forneceu sistemas DWDM com tecnologia ROADM - Reconfigurable Optical Add-Drop Multiplexer, que adiciona flexibilidade no direcionamento do tráfego das redes ópticas, transponders de 1,2 Tbit/s, amplificadores ópticos e sistemas de proteção de rota. Um dos destaques do projeto é a rota reserva iluminada na malha óptica da InterNexa, com distância total de 1500 quilômetros, conectando Rio de Janeiro e São Paulo via Belo Horizonte. O uso dessa nova geração de transponders dispensou a necessidade de regeneração do sinal ao longo da rota, contribuindo para a redução de custos de implantação e de manutenção de estações no sistema óptico de longa distância da operadora.

Alinhada às tendências internacionais da tecnologia DWDM para o segmento de data centers, a nova linha de transponders de 1,2 Tbit/s (até 600 Gbit/s por canal óptico) da plataforma LightPad i6400G da Padtec combina alta taxa de transmissão de dados com menor custo por bit transmitido. “Uma das novidades técnicas dessa geração de transponders está na mecânica de 300 mm de profundidade, que atende ao padrão dos racks em ambientes de data centers e, também, das estações de telecom para aplicações em redes metropolitanas, backbones ópticos terrestres e sistemas submarinos de operadoras e provedores de Internet”, ressalta Argemiro Sousa, diretor de negócios e presidente interino da Padtec.





Mais Notícias RTI



Oi e Faro Energy fecham parceria para uso de energia solar em Minas Gerais

Com capacidade de mais de 21 GWh/ano, usinas vão atender quase 2 mil unidades da operadora.

07/12/2020


Laboratório de certificação em 5G do CPQD será inaugurado em dezembro

Espaço terá como foco a segurança cibernética das redes 5G.

07/12/2020


Empresas brasileiras adotam serviços de nuvem pública durante a pandemia

Segundo relatório, empresas buscam flexibilidade e escalabilidade.

07/12/2020