Diante da transformação digital acelerada vivida neste momento de pandemia, o aumento do acesso à Internet acima de 34 Mbit/s subiu cerca de 20%, segundo dados da Anatel. Os responsáveis pela ampliação dessas conexões são as Prestadoras de Telecomunicações de Pequeno Porte (PPPs). De acordo com a Abrint - Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações, a demanda desses provedores regionais cresceu 47%, no período de março a setembro de 2020, enquanto o crescimento das grandes operadoras na mesma faixa de velocidade foi de 18% no período.

Somente em setembro deste ano, comparado com o mesmo mês de 2019, os provedores regionais tiveram aumento de demanda em 144%, o que representa mais de 3,5 milhões de novos acessos. Já as grandes operadoras cresceram cerca de 39% no mesmo período. De acordo com a Anatel, mais de 60% do mercado de fibra óptica até os domicílios brasileiros vem das PPPs.

“A essencialidade da Internet de banda larga ficou evidente no período de isolamento social e os provedores tiveram um protagonismo muito grande na expansão dos acessos de maior velocidade”, explica Alessandra Lugato, diretora executiva da associação.

A Abrint avalia que 2021 ainda será um ano impactado pela pandemia no sentido de haver uma grande demanda por conexões de alta velocidade (acima de 34 Mbit/s) e para agregar valor à prestação desse serviço e elevar a competividade os pequenos provedores devem trazer como tendência para os próximos anos o aumento da oferta de SVA - Serviços de Valor Adicionado, como armazenamento em nuvem, antivírus, entre outros.



Mais Notícias RTI



ALLREDE incorpora mais cinco provedores no Centro-Oeste

Empresa alcança 152 mil clientes.

07/12/2021


OneX Data Centers do Brasil inaugura data center no Vale do Aço mineiro

Objetivo é prover serviços de nuvem.

07/12/2021


IProject apresenta dois novos produtos na ABRINT 2021

Com soluções inovadoras, a iProject TI chega à ABRINT com grandes novidades.

07/12/2021