A Cummins, fabricante de grupos geradores, revelou como planeja expandir seus negócios de produção de células de combustível e hidrogênio. Um dos objetivos é que as receitas do eletrolisador gerem pelo menos US$ 400 milhões em 2025.

Membros da equipe de liderança da Cummins revisaram o portfólio e a estratégia de hidrogênio existente e discutiram oportunidades de mercado em uma conferência virtual realizada com investidores.

“A demanda por eletrolisadores está crescendo rapidamente com a oportunidade de utilizar hidrogênio verde para substituir o hidrogênio cinza menos ecologicamente correto em processos industriais, enquanto o interesse em células de combustível está aumentando em alguns mercados”, disse Amy Davis, presidente da Unidade de Negócios New Power da Cummins Inc.

“A Cummins participa de mercados e vemos a adoção antecipada dessas tecnologias, alavancando nossa liderança em relacionamento com o cliente, conhecimento de aplicação e serviços globais. Também continuamos a investir em novas tecnologias, como células a combustível de óxido sólido, promissoras em aplicações de energia estacionária”, afirmou a presidente.

Durante as apresentações, os líderes da Cummins mostraram como o hidrogênio verde e as células de combustível desempenharão um papel crítico na redução de gases de efeito estufa e emissões atmosféricas das indústrias, seguindo as recomendações de especialistas para limitar os aumentos da temperatura global em linha com o Acordo de Paris.

Os executivos esperam que a adoção da tecnologia de célula de combustível leve um tempo para ser adotada. Segundo eles, a infraestrutura é uma barreira atual que exigirá ação e envolvimento da indústria privada e do governo para aumentar o ritmo de adoção de soluções de células de combustível de hidrogênio.

“A produção de hidrogênio verde e a adoção de tecnologias de células de combustível em mercados atendidos por combustíveis fósseis hoje serão essenciais para reduzir as emissões de gases de efeito estufa em todo o mundo e também permitirão à Cummins atingir a neutralidade de carbono até 2050. Continuaremos a trazer produtos de célula de combustível de hidrogênio ao mercado e já temos muitos sistemas em campo, incluindo caminhões rodoviários, ferroviários, marítimos e outras aplicações, bem como centenas de eletrolisadores”, diz Tom Linebarger, presidente e CEO da Cummins.



Mais Notícias RTI



Silica Networks anuncia projeto de cabo submarino de 1026 km até a Antártica

Filiais do Brasil, Argentina e Chile participam do estudo do projeto que liga o extremo sul do continente ao Polo Sul.

19/04/2021


Sanepar estuda compartilhamento de rede de esgoto com fibra óptica

Ideia é aproveitar a capilaridade dos 38.464 km de tubulação no Paraná.

19/04/2021


Comba Telecom desenvolve solução Open-RAN multibanda e multi-RAT

Plataforma destina-se a frequências de 1800 e 2100 MHz.

19/04/2021