O projeto Plataforma de Eletromobilidade da CPFL Energia, que tem a meta de instalar 50 estações de recarga de veículos elétricos (conhecidas como eletropostos) nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, foi iniciado na semana passada, 28 de julho, com a inauguração da primeira delas no terminal internacional do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

O eletroposto em Viracopos, apontado como o primeiro em um aeroporto brasileiro, tem como parceiros a empresa Beepbeep, start-up de compartilhamento de carros elétricos, e a ABB Eletrificação. No local, há três vagas reservadas para os carros da start-up e uma aberta ao público.

O projeto da plataforma é no âmbito do P&D da Aneel - Programa de Pesquisa e Desenvolvimento, com recursos totais de R$ 47 milhões. Todos os eletropostos utilizarão software para soluções em eletromobilidade com o conceito de living lab (laboratório vivo), pelo qual todos os dados dos usuários serão monitorados para avaliar o comportamento de cada um deles. Com essas informações, os coordenadores do projeto pretendem tornar viáveis a reserva de uso do posto com a cobrança de recargas e a gestão dos energéticos.

Segundo a CPFL, nesse primeiro eletroposto as recargas ainda serão gratuitas, já que o projeto está em fase de testes e os custos de cada recarga ainda serão calculados e divulgados posteriormente. Além disso, a instalação dos demais eletropostos depende de formalização de parcerias com os locais candidatos, assim como do cronograma de compra e instalação de cada um.

A aposta da CPFL na eletrificação segue tendência global apontada por novo estudo da consultoria Deloitte que revê para cima o aumento nas vendas de carros elétricos. No mesmo dia 28 de julho da inauguração do eletroposto em Viracopos, a consultoria divulgou que o mundo caminha para registrar vendas anuais de 31,1 milhões de veículos com baterias elétricas em 2030, um aumento de 10 milhões sobre previsão anterior da empresa. Desse total, 81% das vendas seriam de carros totalmente elétricos e o restante de híbridos.

Segundo a Deloitte, esse patamar de vendas significará que, de cada três carros vendidos, um será elétrico, o que vai elevar a participação de mercado do segmento para 32%. Segundo o estudo, mesmo a interrupção provocada pela pandemia não afetou muito as projeções de crescimento nas vendas para 2020, quando deverão ser comercializados 2,5 milhões de carros elétricos. Com base em uma taxa de crescimento anual de 29%, a Deloitte estima que o volume de vendas alcance 11,2 milhões em 2025 até chegar à nova projeção mais otimista para 2030.



Mais Notícias EM



Começa hoje a Semana da Eficiência Energética

Webinars vão discutir e apresentar soluções de uso eficiente de energia em edificações, instalações de saneamento, data-centers e na indústria de plásticos.

26/10/2020


Aneel abre consulta pública para regulamentar usinas híbridas

Contribuições podem ser enviadas até o dia 4 de dezembro. Intenção da agência é aproveitar melhor a rede com a complementaridade das fontes

23/10/2020


GM lança picape 100% elétrica nos EUA

A Hummer EV tem 1000 cavalos de potência e autonomia, com recarga total, de 560 km

23/10/2020