A CPFL Energia e a WEG lançaram este mês o “Bônus Motor”, projeto de eficiência energética com foco no setor industrial. O objetivo é promover o uso racional da energia elétrica e a redução nas despesas dos consumidores com a conta de luz. Pelo programa, empresas de São Paulo e do Rio Grande do Sul que realizarem a troca de motores antigos por tecnologias mais eficientes poderão ter um bônus de até 40% na aquisição do novo modelo.

A CFPFL Energia estima investir R$ 8,1 milhões no projeto, dos quais R$ 6,4 milhões serão destinados diretamente aos descontos oferecidos para a substituição de equipamentos nas áreas de atuação das distribuidoras do grupo: CPFL Paulista, CPFL Piratininga e CPFL Santa Cruz, no Estado de São Paulo, e RGE, no Rio Grande do Sul. Os recursos vão beneficiar clientes que fizerem a aquisição dos equipamentos através do projeto, comprovarem a instalação das novas máquinas e disponibilizarem os equipamentos antigos para o descarte correto. Todo o processo será conduzido por meio do SBM (Sistema Bônus Motor), onde também será possível realizar a cotação com diversos parceiros e representantes da WEG. Após o envio das comprovações de todo o processo, a CPFL pagará diretamente à WEG o valor relativo ao desconto.

Os recursos do projeto disponíveis em cada uma das distribuidoras serão os seguintes: R$ 2,988 milhões para a CPFL Paulista; R$ 1,405 milhão para a CPFL Piratininga; R$ 695,2 mil para a CPFL Santa Cruz; e R$ 1,335 milhão para a RGE. Os descontos são definidos de acordo com a potência do motor substituído: até 25% para máquinas entre 1 e 7,5 CV, até 30% para motores de 10 a 75 CV, e até 35% para a faixa de 100 a 250 CV. Em todas as faixas, a WEG acrescentará até 5% ao bônus do descarte do motor antigo, que será realizado através da logística reversa da empresa.

Atualmente, os motores elétricos consomem em torno de 70% da energia elétrica no segmento industrial, o que equivale a 40% de toda a energia elétrica utilizada no mundo. O objetivo do projeto é justamente tornar esse consumo mais eficiente, com a retirada de circulação de motores ineficientes (inclusive desestimulando a prática do “rebobinamento” de motores avariados) e sua substituição por modelos de alto rendimento.

Para se adequar aos requisitos do programa, os motores a serem substituídos devem ter sido fabricados até 2009 e ter tempo de funcionamento mínimo de 4320 horas por ano, e o consumidor também precisa estar adimplente com a distribuidora de energia. Para ter direito ao bônus, o interessado deverá disponibilizar a máquina trocada para destinação consciente, a ser realizada pela WEG, envolvendo retirada, guarda e encaminhamento de acordo com as normas e legislações em vigor.

Apesar de o foco da iniciativa ser o setor industrial, também podem beneficiar-se consumidores de segmentos como serviço público, rural, comércio, serviços, poder público e condomínios. As empresas que se interessarem em participar do programa devem acessar www.bonusmotor.com.br para conhecer o regulamento e se cadastrar.



Mais Notícias EM



CPFL implanta eletropostos em meio à projeção ainda mais otimista para carros elétricos

Primeira de 50 estações de recarga de carros elétricos foi inaugurada em Viracopos e segue tendência global de crescimento de 29% ao ano nas vendas de veículos.

03/08/2020


Tradener exporta energia para a Argentina

Comercializadora foi autorizada pelo MME e iniciou a operação de venda da geração de quatro usinas térmicas

04/08/2020


Mercado livre puxa recuperação do consumo

Nos primeiros 15 dias de julho, CCEE registra primeira alta no consumo do mercado livre desde o começo da pandemia.

03/08/2020