A Oi lançou a tecnologia FTTR - Fiber To The Room, desenvolvida pela Huawei, que leva a fibra óptica aos diversos cômodos da residência ou empresa do cliente sem necessidade de realização de obras de infraestrutura, passagem por dutos e sem interferir na decoração dos ambientes. A solução traz como novidade o cabo micro óptico composto fotoelétrico (ITU-T G.657.B3), semelhante a uma fita transparente, que pode ser fixada em paredes ou rodapés, de forma quase imperceptível, com elevada resistência mecânica e a curvaturas de até 90 graus sem degradação da potência do sinal. Outra inovação é a topologia, que segue o conceito do GPON, com gateway (OLT) na chegada da fibra, splitter até 1x16 e ONUs WiFi 6 posicionadas em cada cômodo.

O FTTR (que vai ser comercializado como Oi Fibra X) é recomendado para residências ou pequenas empresas com mais de 70 metros quadrados e será ofertado como serviço a uma taxa adicional de R$ 59,90 na conta de clientes de Internet fixa, independente do plano de Internet contratado. “É uma solução que requer um projeto customizado. Cada cliente é um caso diferente e precisamos saber onde colocar os dispositivos para ter o melhor desempenho”, diz Ricardo Drumond Andrade, diretor de Tecnologia e Operações da Oi. O cabo já vem pré-conectorizado, dispensando emendas, mas precisa de uma ferramenta especial para instalação.

O sistema permite à operadora ter visibilidade da rede interna dentro das residências e empresas e métodos de controle para localização inteligente de erros, como ruptura de fibra, por exemplo. “Conseguimos prestar um suporte proativo e atuar antes mesmo que os clientes percebam qualquer problema”, diz. No caso de falhas, a conexão interna passa a ser feita por WiFi mesh até o restabelecimento da rede óptica.

Segundo o executivo, mesmo com a melhor conexão em fibra óptica, com altíssima velocidade e estabilidade, muitas vezes o cliente não fica totalmente satisfeito devido a uma limitação da cobertura Wi-Fi dentro de casa. “O sinal bate nas paredes e não chega na mesma intensidade em todos os cômodos. Quando o cliente instala um Wi-Fi mais potente para tentar resolver esse tema, também pode começar a interferir com o Wi-Fi dos vizinhos. Com o FTTR esse problema está resolvido, pois levamos a fibra para todos os cômodos necessários e o cliente tem a melhor Internet em todos os cantinhos da casa ou do negócio”, acrescenta Roberto Guenzburger, diretor de consumidor e empresarial da Oi. O ambiente se torna hiperconectado em alta velocidade e com latências inferiores a 10 milissegundos, menores do que no WiFi. Por sua alta capacidade de transmissão de dados em Gigabit, o FTTR possibilita usos simultâneos de diversos dispositivos sem prejuízo na qualidade de conexão, garantindo a melhor experiência com realidade virtual, jogos, vídeos HD, lives, entre outras aplicações de alto consumo de banda.

O serviço está sendo lançado inicialmente em Blumenau, SC. A expansão para novas cidades dependerá do treinamento das equipes de campo da Oi e Serede, empresa de serviços da Oi, uma vez que a instalação será feita por esses profissionais. “A escala de implantação depende da capacidade de treinar mão de obra”, diz Andrade.

O Brasil é o terceiro país a oferecer a tecnologia, além dos Emirados Árabes e da própria China, onde cerca de 400 mil residências e 100 mil empresas já adotam a FTTR, em um ano de lançamento do serviço.

“Com a conclusão de processos importantes, como a venda da Oi Móvel e ativos de infraestrutura para a V.tal, aprovada na semana passada, nasce agora uma nova Oi, mais ágil e dinâmica, com grandes oportunidades de crescimento e visão de liderar o mercado de alta velocidade com fibra óptica, melhorando a vida das pessoas e trazendo soluções digitais. O grande ativo da companhia passa a ser cada vez mais o relacionamento com os clientes”, diz Guenzburger.

O produto de Internet por fibra óptica, a Oi Fibra, atingiu um patamar de R$ 2,945 bilhões em 2021, um crescimento de 114% em comparação com o ano anterior. O serviço de FTTH foi lançado em agosto de 2018 e hoje conta com 3,5 milhões de clientes e 16 milhões de HP- home passed em 198 cidades, com previsão de chegar a 210 até o final do ano. “60% das vendas são de planos com velocidade acima 400 Mbit/s. O brasileiro busca velocidades cada vez mais altas para acessar e desenvolver soluções digitais. Já levamos a fibra óptica até dentro da casa e agora com a FTTR levaremos a experiência diferenciada para todos os cômodos da residência”, afirma Guenzburger.

O FTTR vai integrar o portfólio de serviços da Oi Fibra, que já oferece um ponto cabeado por assinante, opção indicada para conectar, por exemplo, smart TVs ou computadores. A empresa também está realizando pilotos com a oferta de Mesh como serviço. “O equipamento faz parte da solução, mas o suporte e monitoramento da rede são os diferenciais”, finaliza Andrade.



Mais Notícias RTI



Brasil TecPar capta R$ 200 milhões com objetivo de novas aquisições

Operadora gaúcha tem projeto de atuação nacional.

27/06/2022


OIW Telecom cria unidade de negócios em energia solar

Empresa gaúcha decidiu apostar no mercado fotovoltaico.

27/06/2022


MK Solutions anuncia investimentos de R$ 30 milhões

Planos incluem abertura de unidade em São Paulo e internacionalização.

27/06/2022