O mercado brasileiro de infraestrutura de TI registrou queda de 15,2% e faturou US$ 1,4 bilhão em 2019, segundo o estudo IDC Brazil Enterprise Infrastructure 2019, realizado pela IDC Brasil, especializada em inteligência de mercado, serviços de consultoria e de conferências para indústrias de tecnologia de informação e comunicações.

“A queda era esperada. A mudança de governo impactou os negócios em 2019, principalmente no início do ano, com a expectativa da Reforma da Previdência. Mas, com o passar dos meses e a postergação da medida, empresas privadas e o próprio governo optaram por aguardar para voltar a investir”, explica Thomas Campos, analista de mercado da IDC Brasil. Segundo ele, no segundo semestre, principalmente no último trimestre, o governo fez alguns investimentos em soluções de redes e segurança, mas não o suficiente para salvar o mercado da queda.

Foram, inclusive, os únicos segmentos a registrarem alta em 2019: o mercado de redes cresceu 4,4% e o de aplicações de segurança, 3%, na comparação com 2018. O faturamento, respectivamente, foi de US$ 659,9 milhões e US$ 219,7 milhões. Já os mercados de servidores e armazenamento externo tiveram queda de 10,6% e 5% com receita de US$ 482 milhões e US$ 301,3 milhões, respectivamente.

Para o analista da IDC Brasil, a preocupação com segurança começou a crescer com a proximidade da Lei Geral de Proteção de Dados, que entraria em vigor em agosto deste ano, mas foi adiada para janeiro de 2021 por conta da pandemia de Covid-19. Esse segmento faturou US$ 61,6 milhões só no quarto trimestre de 2019, alta de 5,1% em relação ao mesmo período de 2018. Já o setor de redes teve aumento devido ao maior investimento em roteadores por provedores regionais. “Existem milhares de operadoras espalhadas pelo interior do país e notamos um crescimento da demanda por esses equipamentos”, diz Campos. No quarto trimestre de 2019, por exemplo, os roteadores tiveram alta de 4,4%, na comparação com o mesmo período de 2018, e receita de US$ 80,8 milhões. O mercado de infraestrutura no último trimestre de 2019 registrou alta de 0,6%, com US$ 421,4 milhões de faturamento.

Para 2020, a IDC Brasil prevê grande impacto no mercado de infraestrutura de TI por conta da Covid-19. Até o momento, a expectativa é de queda de 8,5% na comparação com 2019. “Alguns projetos que deveriam ter acontecido em 2019 ficaram para 2020 e vão salvar o desempenho do primeiro trimestre. Mas no segundo trimestre o impacto será forte, o que vai puxar o mercado para baixo”, afirma. A previsão é de um cenário mais positivo para o segmento de redes, especialmente em roteadores para as grandes operadoras, por conta da alta demanda de home office durante o período de isolamento social. “No terceiro trimestre já podemos esperar uma retomada, mesmo que lenta, com uma normalização dos negócios no quarto trimestre”, finaliza.



Mais Notícias RTI



Silica Networks anuncia projeto de cabo submarino de 1026 km até a Antártica

Filiais do Brasil, Argentina e Chile participam do estudo do projeto que liga o extremo sul do continente ao Polo Sul.

19/04/2021


Sanepar estuda compartilhamento de rede de esgoto com fibra óptica

Ideia é aproveitar a capilaridade dos 38.464 km de tubulação no Paraná.

19/04/2021


Comba Telecom desenvolve solução Open-RAN multibanda e multi-RAT

Plataforma destina-se a frequências de 1800 e 2100 MHz.

19/04/2021