A parceria com o ConsórciFênix, que tem como missão a melhoria dos serviços e tornar o transporte público mais inteligente e sustentável em Florianópolis, foi iniciada em 2017 com a instalação de câmeras de monitoramento na frota de 540 ônibus urbanos. No final de 2019, a parceria foi estendida e as empresas se uniram novamente para desenhar uma solução para o monitoramento das plataformas de integração distribuídas nos bairros da cidade e que são administrados pela Cotisa, empresa integrante do consórcio. O desafio era elaborar e executar um projeto que unificasse o videomonitoramento de todos os seis terminais de integração de Florianópolis em um único sistema e infraestrutura de data center.
A parceria trouxe outras oportunidades para a Intelbras, que estabeleceu também negócios com a LIVISoluções, empresa catarinense de gestão de tecnologia e soluções de data center que presta serviços para a Cotisa. Assim, a infraestrutura das plataformas foi substituída por switches gerenciáveis e fibra óptica com conversores de mídia da Intelbras.

As imagens captadas do interior dos ônibus em circulação pela cidade são enviadas ao CCO (Centro de Comando e Operações do Consórcio Fênix) e acessadas pela Guarda Municipal, a Cotisa e o próprio consórcio.
Por meio de um software de gerenciamento foi possível fazer com que uma base (matriz de uma empresa por exemplo) receba as imagens de outros sites (filiais), com níveis de permissões, controle de fluxo e criptografia. O que significa monitorar diversos sistemas locais remotamente tornando-os parte de um único sistema virtual, além de cada sistema operar de forma independente.

Outra função inovadora da solução permite que o operador do sistema siga, por exemplo, uma pessoa que passa por diferentes áreas da plataforma sem a necessidade de saber qual a próxima câmera deve ser acionada para continuar o monitoramento. O sistema informa na própria tela qual equipamento deve ser acionado, tornando assim a ação mais fluida e eficaz.

A solução em operação está com disponibilidade de 100%, registrando atividades de mais de 5 milhões de passageiros ao mês.
Foram utilizadas 246 câmeras IP, dezenas de switches PoE gerenciáveis, além de nove servidores distribuídos para aplicação, monitoramento, armazenamento e segurança (firewall), que suportam aproximadamente 19 Tb/dia. E ainda, foram empregados mais de 10 quilômetros de cabos metálicos e 1 km de cabos de fibra óptica.

Com soluções do sistema de gerenciamento e de DVR veicular, as empresas e responsáveis têm acesso às imagens de toda a jornada do passageiro, se há trânsito, problemas, acidentes, tumulto ou invasão nas plataformas, o que proporciona uma resposta muito mais rápida a eventuais problemas, tornando o sistema mais eficiente e seguro.

O sistema já está preparado para utilização de analíticos como barreira virtual, contagem de pessoas e reconhecimento facial.



Mais Notícias RTI



Silica Networks anuncia projeto de cabo submarino de 1026 km até a Antártica

Filiais do Brasil, Argentina e Chile participam do estudo do projeto que liga o extremo sul do continente ao Polo Sul.

19/04/2021


Sanepar estuda compartilhamento de rede de esgoto com fibra óptica

Ideia é aproveitar a capilaridade dos 38.464 km de tubulação no Paraná.

19/04/2021


Comba Telecom desenvolve solução Open-RAN multibanda e multi-RAT

Plataforma destina-se a frequências de 1800 e 2100 MHz.

19/04/2021