Os últimos dados do IBGE demonstram que, entre os profissionais de tecnologia no Brasil, somente 20% são mulheres. Apesar de ser um setor predominantemente masculino, a Link Cariri, provedor de Internet com sede em Juazeiro do Norte e atuação em nove cidades no sul do Ceará, quer reforçar a presença feminina no time de técnicos e instaladores.

“Já havíamos contratado uma mulher para suporte remoto e tivemos ótimos resultados”, diz Elgton Lucena, proprietário da Link Cariri. A vaga anunciada no site da empresa (https://linkcariri.solides.jobs/) é bem clara quanto à especificação para a vaga: “Técnica de campo”. A profissional terá que cuidar da instalação de clientes novos, realizar a migração de clientes já na base e prestar suporte técnico. Por enquanto é oferecida uma vaga, mas a ideia é expandir o time e ter equipes inteiras de mulheres na área de infra, especialmente para fusão de fibra óptica. A empresa oferecerá treinamentos técnicos, como NR10 e NR35, e acompanhará de perto o trabalho nos primeiros meses.

Considerando o elevado índice de desemprego no país, em especial no Nordeste, onde a Link Cariri se localiza, a área de tecnologia pode ser uma boa alternativa de recolocação para os moradores da região, e agora também para as jovens e mães de família com segundo grau completo e noções de informática. Nos motivamos a expandir a presença feminina na área técnica, pois acreditamos que uma mulher tem toda a capacidade de cumprir com excelência essa função”, diz o diretor.

Segundo gestores e especialistas do mercado de trabalho, as mulheres resolvem os problemas de forma mais efetiva e rápida, têm capacidade de realizar várias tarefas ao mesmo tempo e sensibilidade para lidar com as adversidades. Cometem menos erros no geral, pois são mais atentas aos detalhes, diferencial importante, por exemplo, na emenda e instalação de fibra, que requerem cuidados no manuseio, precisão e organização dos materiais e ferramentas.

Com 100 funcionários, a Link Cariri atende atualmente 8000 assinantes. Além do compromisso social, com a geração de empregos e oportunidades às minorias, a empresa realiza ações voltadas para preservação do meio ambiente, como a separação de lixo e economia de água. “Acreditamos que essas pequenas atitudes tenham um grande impacto na sociedade”, completa Lucena. A empresa implantou uma central de energia fotovoltaica e desde junho de 2020 todas as atividades são alimentadas por fonte sustentável. A planta fica na cidade de Barro e injeta a produção de eletricidade na rede da distribuidora Enel. Foram instalados 342 módulos de 340 Wp (Watt-pico), que alimentam os dois escritórios administrativos, o data center, os sites com torres e as centrais de FTTH – fiber to the home. A redução anual de emissão de CO2 é de 56,64 toneladas.







Mais Notícias RTI



EMAE investe R$ 25 milhões para atualizar parque tecnológico

Melhorias incluem infraestrutura de rede, cabeamento e data center.

04/05/2021


Algar Telecom e Coprel Telecom fecham parceria para ampliar capacidade de rede

Colaboração tem o objetivo de ganhar em escala e tempo de resposta na comunicação de dados.

03/05/2021


DWDM para provedores será tema de live na próxima quarta

Debate terá participação de especialistas do setor e será mediado por Ronaldo Couto.

03/05/2021