A Watch Brasil, plataforma de vídeo sob demanda que tem em seu portfólio filmes e séries de grandes estúdios de Hollywood, inicia a oferta de canais lineares da TV aberta por meio do streaming, no modelo de VOD - vídeo sob demanda. Criado a partir de uma parceria com a TV Alphaville, o novo pacote possui diversos canais, incluindo Band, Band Sports, Band News, Terra Viva, Cultura, Record, Record News, Rede TV, SBT, Arte1, Agro1, Smithsonian Channel, Fish TV e CNN Brasil.

“Desenvolvemos um produto chamado Alpha Life, um co-branded com a TV Alphaville com a Watch Brasil, onde utilizamos o sinal deles e empacotamos o conteúdo para venda e distribuição via OTT. Já temos dois grandes clientes utilizando o produto, que são o Uol Play e a Vero Vídeo. Agora estamos abrindo para provedores de todo o Brasil. Por outro lado, nossa parceria acabou tendo um outro resultado: a TV Alphaville passou disponibilizar em seu canal a cabo a oferta da Watch Brasil para seus assinantes”, conta Maurício Almeida, cofundador da Watch Brasil. 

“A parceria tecnológica com a Watch Brasil nos propicia ampliar nossa presença, pois acabamos atuando sem fronteiras, pela Internet. Além disso, passamos a entregar mais valor agregado com as mais de 5000 horas de conteúdo de estúdios de Hollywood para nossos clientes locais”, afirma Cristina Mizumoto, diretora da TV Alphaville.

Os provedores poderão adquirir o pacote Watch Brasil de canais lineares Alpha Life em diversos formatos, incluindo o serviço de VOD independente da quantidade de acessos contratada por cada provedor. “A evolução tecnológica viabilizou o compartilhamento do headend, ajudando a colocar todos os canais em streaming. Entregamos uma solução completa de VOD combinada com canais lineares, com ou sem set top box, conferindo modernidade e maior flexibilidade para quem contrata”, explica Marcello Zeni, advisor da Watch Brasil e da TV Alphaville.   

O cofundador da Watch Brasil comenta que, no passado, quando os streamings foram lançados, a sensação das pessoas era de que o VOD mataria a TV aberta. “Hoje brincamos que o streaming vai 'salvar' a TV aberta, pois o consumidor se acostumou de tal forma ao modelo do VOD que muitas famílias cancelaram qualquer plano de TV a cabo. Além disso, em regiões mais distantes, o canal tradicional da TV aberta não chega com qualidade. Nesses lugares, os provedores que fornecem serviços de Internet por meio de fibra de alta velocidade podem levar os canais digitais a essas regiões com altíssima definição e aumentar a audiência”, declara Almeida. 

Os clientes poderão acompanhar a programação ao vivo, da mesma forma que em um canal linear, porém, com a diferença de que estarão fazendo o acesso pela Internet. Além disso, será possível usar o recurso de catch-up, que permite voltar em até 4 horas na programação. Os canais funcionarão em mais de 30 diferentes devices, incluindo smartphones, computadores e smart TVs.

“Acreditamos que o que realmente vai funcionar em canais abertos no streaming serão eventos esportivos e outros, além do jornalismo diário. Os filmes e séries acreditamos que o VOD vai dominar”, declara Almeida. “Nosso streaming está num momento muito privilegiado em relação à entrega de conteúdos, graças à parceria com a Paramount+ no Brasil, entrada da HBO Go e agora dos canais lineares.”

Todo o conteúdo Paramount+ é disponibilizado para assinantes Watch. O fato de a empresa ter investido no relançamento do projeto fará com que a startup passe de 4500 horas de vídeo sob demanda para cerca de 8000 horas de conteúdos. Além disso, recentemente a Watch anunciou a disponibilização da plataforma completa da HBO Go no marketplace da empresa.







Mais Notícias RTI



Silica Networks anuncia projeto de cabo submarino de 1026 km até a Antártica

Filiais do Brasil, Argentina e Chile participam do estudo do projeto que liga o extremo sul do continente ao Polo Sul.

19/04/2021


Sanepar estuda compartilhamento de rede de esgoto com fibra óptica

Ideia é aproveitar a capilaridade dos 38.464 km de tubulação no Paraná.

19/04/2021


Comba Telecom desenvolve solução Open-RAN multibanda e multi-RAT

Plataforma destina-se a frequências de 1800 e 2100 MHz.

19/04/2021