A Adiau, uma nova startup criada para viabilizar a transmissão de velórios online, desenvolveu uma solução completa para que o setor funerário possa oferecer às famílias a possibilidade de participar das cerimônias de despedida ao vivo, de forma simples e segura via Internet. Sem qualquer investimento na compra de equipamentos de transmissão, as funerárias e cemitérios podem receber câmeras de alta definição e ativar o serviço de forma rápida e fácil.

Motivado por consultas das próprias empresas, Denilson Rocha, diretor de tecnologia da Vertentes Telecom, provedor de Oliveiras, MG, e também criador do climaaovivo.com.br, startup que transmite ao vivo as condições do tempo em todo o país através de câmeras IP, iniciou as pesquisas de mercado para estruturar o negócio e lançar a Adiau. “A necessidade de transmitir velórios ao vivo é extremamente latente e as poucas empresas que tentaram prestar este serviço no passado tiveram péssimas experiências, normalmente envolvendo câmeras e DVRs voltados a sistemas de CFTV convencionais”, diz.

A Adiau oferece a solução completa “as a service”, oferecendo desde o envio de câmeras com conectividade IP e áudio integrados até a integração dos servidores de streaming ao próprio site ou APP da funerária ou cemitério, com gerenciamento total pelas empresas que contratam o serviço. “As câmeras são enviadas em comodato com garantia integral, portanto não há qualquer investimento em compra de equipamentos por parte dos clientes. Há apenas uma pequena mensalidade para manutenção do serviço”, diz.

Outro ponto crítico resolvido pela solução é que os próprios servidores da startup replicam a transmissão para as pessoas que estão acompanhando as cerimônias ao vivo. “Isto significa que se 100 pessoas estiverem acompanhando uma cerimônia ao vivo ao mesmo tempo, o consumo de link de Internet na sala do velório será sempre de apenas uma única transmissão. Os nossos servidores em nuvem farão o trabalho de multiplicar este fluxo, garantindo a qualidade e reduzindo o investimento em conectividade para os clientes”, esclarece Alexandre Oliveira, gestor comercial da Adiau.

A privacidade das cerimônias é garantida através de uma senha cadastrada para cada família, permitindo assim que somente as pessoas autorizadas recebam acesso à transmissão ao vivo.

A plataforma permite que cada funerária, cemitério ou crematório possa inserir diretamente suas cerimônias através de um sistema de cadastro onde recebem login e senha de administração. Os códigos necessários são fornecidos pela startup, além de todo o suporte técnico remoto necessário para instalação e configuração dos equipamentos.

Segundo Rocha, apesar de o mercado ter sido fortemente impactado pela pandemia, a solução não foi desenvolvida especificamente para este momento em que a Covid reduziu o tempo e o acesso aos velórios. “A tecnologia foi integrada para que qualquer pessoa que não possa comparecer presencialmente, independentemente do motivo, tenha a possibilidade de participar via Internet. Para as empresas que prestam o serviço, é uma oportunidade de oferecer mais esta comodidade à família, permitindo que os entes ou amigos que moram longe acompanhem as cerimônias ao vivo. Uma grande agregação de valor que pode ser incorporada aos planos funerários ou até mesmo ser oferecida como um serviço adicional”, diz.

Atualmente, o setor funerário no Brasil possui cerca 14 mil empresas ativas, de acordo com dados da Abrasif - Associação Brasileira do Setor de Informações Funerárias. Em 2017, último ano em que o levantamento foi realizado, o setor contabilizou R$ 3,5 bilhões em faturamento. De acordo com o Portal da Transparência, somente em 2019 foram registrados mais de 1,24 milhões de óbitos no Brasil. Até o momento em 2020, este número já passa de 1,18 milhões.

De acordo com o CEO da startup, é esperado que no primeiro ano de operação a empresa já tenha equipado as salas de velórios que possibilitem a transmissão de pelo menos 10% do número de óbitos anuais totais de todo o Brasil, ou seja, cerca de 130 mil transmissões. A startup está em negociação com empresas de todo o país e, desde que iniciou sua operação, em julho deste ano, já enviou câmeras para equipar empresas de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Ceará e Roraima.

“A pandemia da Covid-19 impôs mudanças emergenciais ao segmento funerário, e diante disso, precisamos compensar as dificuldades e limitações às práticas de velório. A solução apresentada pela Adiau veio ao encontro das necessidades da empresa para atender melhor nossos clientes. Foram instaladas dez câmeras nas salas e ambientes de velório, que permitem acesso seguro aos familiares através de senhas. Hoje a participação virtual nos velórios aproxima as pessoas e permite demonstrar o carinho e atenção em momentos difíceis”, informa Arnaldo Caraiola Junior, Gerente de TI do Cemitério Vertical de Curitiba, uma das maiores necrópoles da América Latina.

Com apenas quatro meses de operação, a startup já atingiu o break even projetado para o investimento, somente com o faturamento adquirido pela sua atual carteira de clientes.



Mais Notícias RTI



Silica Networks anuncia projeto de cabo submarino de 1026 km até a Antártica

Filiais do Brasil, Argentina e Chile participam do estudo do projeto que liga o extremo sul do continente ao Polo Sul.

19/04/2021


Sanepar estuda compartilhamento de rede de esgoto com fibra óptica

Ideia é aproveitar a capilaridade dos 38.464 km de tubulação no Paraná.

19/04/2021


Comba Telecom desenvolve solução Open-RAN multibanda e multi-RAT

Plataforma destina-se a frequências de 1800 e 2100 MHz.

19/04/2021