Joinville, a maior cidade de Santa Catarina, é também a primeira do estado a gerar energia elétrica através do fluxo de água. Em janeiro, a CAJ - Companhia Águas de Joinville instalou uma turbina em uma adutora do reservatório R-5, no bairro Vila Nova. A tecnologia, desenvolvida pela Higra, fabricante de São Leopoldo, RS, aproveita a pressão da água para gerar energia elétrica.

A produção será de até 40 kWh, correspondendo a 28.800 kWh por mês. A energia elétrica gerada será injetada na rede de distribuição da Celesc e ressarcida em forma de créditos nas unidades operacionais da CAJ. Isso representa para a companhia uma economia anual de, aproximadamente, R$ 300 mil. A instalação da turbina não interfere na pressão da água que chega aos imóveis.

“É uma grande inovação, não só para Joinville, mas para todo o Estado, usar a força da água dentro de uma adutora para gerar energia. Essa iniciativa mostra que temos que buscar a sustentabilidade para as futuras gerações, trazendo eficiência energética, inovação e mais qualidade de vida para Joinville”, destaca o prefeito Adriano Silva.

Lucas Emanuel Martins, gerente de Água da CAJ, destaca que, a partir de estudos técnicos, foi identificada uma sobra de pressão passível de ser aproveitada para a geração de energia no reservatório R-5. “Nesse contexto, iniciamos a pesquisa de tecnologias que poderíamos utilizar para aproveitar esse potencial energético”. E sobre as vantagens operacionais da turbina, acrescenta: “Com ela, temos um maior controle da vazão que está sendo direcionada para esse reservatório, conseguimos fazer comandos a distância, fazendo toda essa tratativa de forma mais moderna. Já fizemos o estudo para instalar em outros reservatórios”.

O projeto, que teve um investimento de R$ 2,4 milhões, foi concluído em seis meses. Além da turbina, uma nova adutora também foi instalada para possibilitar a execução do projeto.

Sidney Marques de Oliveira Junior, diretor-presidente da CAJ, explica que a tecnologia utilizada é a mesma de uma hidrelétrica convencional, porém em menor escala. A turbina é instalada na tubulação e gira a partir da pressão da água. A energia gerada é então transmitida para a rede elétrica. “O uso da turbina para gerar energia elétrica é um dos nossos projetos focados em sustentabilidade. Além do custo baixo de manutenção e facilidade de se operar, aproveita o potencial energético do sistema de saneamento, contribui para reduzir as nossas despesas e, principalmente, beneficia o meio ambiente”, afirma.

Foto: Giovani Paim/Higra



Mais Notícias HYDRO



Governo de São Paulo anuncia novas medidas que impulsionam produção de biogás e biometano

Destinação dos gases é um desafio nas indústrias, aterros e estações de tratamento de efluentes.

21/05/2024


Novas elevatórias de esgoto trazem benefícios em Atibaia

Atibaia Saneamento aponta quais são os principais pontos de obras na cidade.

21/05/2024


Copasa contrata empresas para a prestação de serviços de atendimento ao público

Empresas estão selecionando agentes de relacionamento com o cliente.

21/05/2024