O Instituto Trata Brasil, em parceria com a EX Ante Consultoria Econômica, BRK Ambiental e apoio da Rede Brasil do Pacto Global, divulgou o estudo O Saneamento e a Vida da Mulher Brasileira.

No Brasil, o número de mulheres que residem em casas sem coleta de esgoto saltou de 26,9 milhões para 41,4 milhões entre 2016 e 2019, ou seja, uma taxa de crescimento de 15,5% ao ano do número de brasileiras afetadas pelo problema. Nesse mesmo período, a população feminina prejudicada pela falta de água tratada passou de 15,2 milhões para 15,8 milhões e a ausência do serviço regular afeta 24,7 milhões. Já o índice de mulheres sem banheiro em casa cresceu 56,3% no acumulado do período, passando de 1,6 milhão para 2,5 milhões.

O levantamento se baseia nas informações da PNADC - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continuada do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, da Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE e do Sistema Único de Saúde (Datasus), considerando os dados de 2016 (base para o primeiro estudo) e 2019 (dados mais recentes do PNADC e do Datasus).
A análise completa pode ser acessada pelo link: https://bit.ly/3warsAf.



Mais Notícias HYDRO



Coppe desenvolve protótipo para geração de eletricidade e água em locais remotos

Sistema reúne uso de energia solar com recuperação de calor e dessalinização de água.

25/05/2022


G Hidro Monitoramento muda marca para Afira

Objetivo é fortalecer aplicações de telemetria em outros segmentos.

25/05/2022


Setor de cloro-álcalis diminui acidentes com transporte de produtos químicos

De acordo com pesquisa da Abiclor, redução foi de mais de 80% em 2021.

24/05/2022