A crise provocada pela pandemia do coronavírus não alterou a programação da Sanepar - Companhia de Saneamento do Paraná para manter serviços, projetos e obras previstos em seu planejamento anual. Para 2020, estão programados R$ 1,3 bilhão para assegurar o abastecimento com água tratada a 100% da população urbana e ampliar o esgotamento sanitário no Estado.

A empresa mantém caixa para sustentar os projetos. Os recursos foram garantidos em uma estratégia financeira que reuniu recursos próprios, gerados pelo lucro da Companhia, de linhas de financiamentos do BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, da Caixa Econômica Federal e do banco alemão KfW.

A emissão de debêntures, realizada no primeiro trimestre deste ano, é outra fonte de recursos. A empresa captou R$ 350 milhões com a emissão de Debêntures Incentivadas a partir de três projetos aprovados pelo Ministério de Desenvolvimento Regional.

“Este momento reforça a necessidade de a Sanepar continuar o seu trabalho e seus investimentos”, afirma o diretor-presidente da Companhia, Claudio Stabile. “A captação de debêntures, mesmo nessa situação de pandemia e de recuo na economia, reflete a credibilidade da empresa perante o mercado. Os investidores confiaram em nossos papéis e a Sanepar está fazendo a entrega das obras”, diz ele.

A operação de emissão de debêntures, bem-sucedida, viabilizou a captação considerada extremamente positiva pela diretoria. “Os recursos de terceiros têm um custo menor para a companhia e, consequentemente, para a sociedade porque têm impacto direto na tarifa”, explica o diretor de Investimentos, Joel de Jesus Macedo.

Os R$ 350 milhões estão destinados a investimentos em obras de abastecimento de água em 87 municípios e de esgotamento sanitário em 20 municípios. Além da implantação de reservatórios e obras de melhorias operacionais em captações de água, os recursos atenderão a ampliação e renovação da rede de distribuição e de estações de tratamento.

Entre as principais obras em execução no Estado, está a construção da Barragem do Miringuava, que vai se integrar ao Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana, ampliando em 10% a capacidade de produção, garantindo maior segurança para o abastecimento da região.

Há também obras de substituição de rede e interligações que fortalecem o sistema distribuidor de água na Região Metropolitana.

No esgotamento sanitário, está sendo ampliada a ETE Belém, que trata 30% do esgoto da capital. Vai aumentar a capacidade de tratamento dos atuais 1500 para 2520 L/s.

Em Umuarama, na região Noroeste, a Sanepar também expande o serviço de esgotamento sanitário, com uma nova estação elevatória de esgoto e a ampliação da ETE Pinhalzinho, que recebe nova tecnologia com aproveitamento do biogás para geração de energia elétrica.

Em Cascavel, no Oeste, a Sanepar executa obras que ampliam o sistema de água e garantem maior regularidade no abastecimento na cidade para os próximos 15 anos. A principal delas é a execução de uma nova captação de água, que vai aumentar em 25% a capacidade de produção e tratamento de água na cidade.



Mais Notícias HYDRO



BRK Ambiental se posiciona com relação ao novo marco do saneamento

Grupo deve investir pelo menos R$ 20 bilhões ao longo da vigência de seus contratos atuais.

30/06/2020


Mirassol e Palestina atingem um dos menores índices de perdas de água do Brasil

Com base em estudo recente do setor, municípios paulistas registraram índice de perdas abaixo da média nacional.

30/06/2020


ANA lança manual de medição de vazão em tubulações

Obra orienta profissionais a realizarem o monitoramento adequado de usos de água.

30/06/2020