A Bridgestone, fabricante de pneus com plantas industriais em Santo André, SP, e Camaçari, BA, e de bandas de rodagem em Campinas, SP, e Mafra, SC, acaba de divulgar seu primeiro Relatório de Sustentabilidade da América Latina, que detalha os projetos, as ações e os resultados da região ao longo de 2020.

Entre os diferentes indicadores de desempenho ambiental está a diminuição regional de 36,53% dos resíduos enviados para aterro sanitário, graças aos diferentes projetos implementados nas fábricas – as plantas brasileiras são, hoje, aterro zero. A unidade de Santo André substituiu os tambores de plástico e metal por IBCs - Intermediate Bulk Containers com opção de recarga, o que reduziu 12 toneladas de tambores e recipientes de plástico, bem como 6 toneladas de resíduos perigosos. Além disso, a borracha vulcanizada proveniente das fábricas de Campinas e Mafra é reciclada e utilizada como matéria-prima para solados de sapatos e asfalto. Ainda, em Camaçari, iniciou-se a operação um biodigestor que recebe uma média de 15 toneladas de resíduos orgânicos por mês.

A região também obteve uma redução de 29,9% nas emissões de carbono de suas operações. Na fábrica de Santo André, o funcionamento das caldeiras agora se ajusta automaticamente à demanda, o que permitiu uma redução de 193.280 m³ do consumo de gás natural. Além disso, a fábrica de Campinas realizou melhorias no processo de extrusão, o que permitiu reduzir as emissões de CO2 em 30 toneladas por ano.

Ainda em 2020, a Bridgestone alcançou uma redução no consumo de água: as unidades na América Latina apresentaram uma diminuição de 23,3%, o equivalente a uma economia de mais de 755 mil litros. No mesmo ano, a fábrica de Santo André aumentou a capacidade do seu sistema de osmose reversa, de modo que a cada 100 m³/h, seja possível gerar 92 m³/h de água permeada e 8 m³/h de água residual, representando uma diminuição de 24% no consumo em comparação com o ano anterior. A operação possui também uma estação de tratamento de efluentes, que permite a reutilização de 100% da água tratada na linha de produção. Já a fábrica em Campinas instalou uma nova estação de tratamento de efluentes, com capacidade para tratar 28 mil litros de água por dia, para ser reutilizada no processo produtivo da fábrica.

A empresa japonesa, que celebra 90 anos em 2021, tem 5000 colaboradores no Brasil e divulgou o seu Marco 2030, apresentando novos objetivos para atingir as metas ambientais de médio prazo. Entre elas, a neutralidade de carbono de 2050 em diante e a redução das emissões totais de CO2 em 50% até 2030, em comparação aos níveis de 2011.

O Relatório de Sustentabilidade América Latina reúne dados sobre as operações da Bridgestone no México, Costa Rica, Colômbia, Argentina, Brasil e Chile.



Mais Notícias HYDRO



Coppe desenvolve protótipo para geração de eletricidade e água em locais remotos

Sistema reúne uso de energia solar com recuperação de calor e dessalinização de água.

25/05/2022


G Hidro Monitoramento muda marca para Afira

Objetivo é fortalecer aplicações de telemetria em outros segmentos.

25/05/2022


Setor de cloro-álcalis diminui acidentes com transporte de produtos químicos

De acordo com pesquisa da Abiclor, redução foi de mais de 80% em 2021.

24/05/2022