Para plantas que requerem corrosão zero, a Gemü Válvulas e Sistemas de Medição e Controle tem pesquisado e trazido ao Brasil métodos inovadores para garantir a segurança em localidades remotas, todos comprovados internacionalmente. Uma das aplicações possíveis é a dessalinização da água do mar por meio da osmose reversa. A tecnologia foi aplicada pela Gemü e outras empresas em Cingapura, país insular que, há alguns anos, passou a investir pesado no tratamento e distribuição de água potável.

O primeiro grande sistema de desmineralização de água do mar da região, chamado Tuas Desalination, funciona pelo princípio da osmose reversa e produz mais de 136 mil m³ de água potável por dia. Para isso, a Gemü providenciou mais de 760 válvulas do tipo “borboleta” de diferentes formatos, capazes de resistir à corrosão da água do mar e filtrar fluidos em diversos pontos do sistema, como tanques e bombas.

As soluções tecnológicas trazidas para a localidade incluem atuadores pneumáticos e elétricos, além de pontos de operação manual. Em outros módulos, válvulas diafragma altamente resistentes a agentes químicos garantem a operação do sistema sem interrupções.

Como a dosagem química é automática, as válvulas podem ser controladas de forma remota, com abertura pneumática. Os equipamentos aptos a sistemas de alta pressão de bombeamento para os módulos de osmose são feitos em material especial, como Super Duplex A890, com operação remota e equipadas com posicionadores inteligentes.

A tecnologia envolvida no tratamento da água marinha envolve várias fases: retirada do fluido, abastecimento do sistema, filtração, flutuação e ventilação para remover partículas suspensas ou dissolvidas na água. Para essa limpeza completa, são aplicados cloretos, ácido sulfúrico (H2SO4), ácido hidroclórico HCl, soda cáustica (NaOH) e outros aditivos que permitem a filtragem por osmose reversa – tudo com o objetivo de trazer a água para o nível potável, com o pH desejado. Outros procedimentos envolvem vários controles para garantir que a água seja potável e segura para seres humanos.

Com todo esse processo, sem equipamentos altamente resistentes, os componentes por onde a água e os agentes químicos passam seriam danificados com frequência, devido à corrosão.



Mais Notícias HYDRO



Projeto do Museu Água em São Paulo está aberto para patrocinadores

Empresas apoiadoras podem usar leis de incentivo fiscal.

22/06/2021


Tigre aposta em saneamento com oferta de estação de tratamento de esgoto unifamiliar

Solução reduz o custo de implantação em 40% e de operação em 30% comparado ao conceito tradicional.

22/06/2021


Sabesp automatiza processo de pesagem

Com as soluções da Toledo, há melhor controle da entrada e saída dos materiais, em especial de produtos químicos.

22/06/2021