Hoje a participação privada no saneamento brasileiro é de apenas 5,4%, mas o novo marco legal do saneamento, aprovado em junho pelo Congresso Nacional e sancionado no último dia 15 de julho, deve aumentar esse índice. Alguns movimentos já vêm ocorrendo. Segundo a Abcon Sindicon, houve um aumento nos contratos estabelecidos por meio de concessões ou PPPs - Parcerias Público Privadas no setor. A média anual de contratos formalizados com a iniciativa privada em abastecimento de água e esgotamento sanitário entre 2015 e 2019 foi de 10 contratos. Só em 2019, foram 23 contratos formalizados. Atualmente, são 14 processos de licitação em andamento, que elevarão a participação privada para 7,1% dos municípios brasileiros.

Os indicadores referentes a 2019 estão detalhados no Panorama da Participação Privada no Saneamento 2020, disponível para download no site www.abconsindcon.com.br.

A publicação anual tem 116 páginas e traz textos e infográficos sobre a presença dos operadores privados de saneamento no setor, além de análises atualizadas sobre o potencial da ampliação de investimentos para o Brasil alcançar a universalização dos serviços de água e esgoto.



Mais Notícias HYDRO



Projeto do Museu Água em São Paulo está aberto para patrocinadores

Empresas apoiadoras podem usar leis de incentivo fiscal.

22/06/2021


Tigre aposta em saneamento com oferta de estação de tratamento de esgoto unifamiliar

Solução reduz o custo de implantação em 40% e de operação em 30% comparado ao conceito tradicional.

22/06/2021


Sabesp automatiza processo de pesagem

Com as soluções da Toledo, há melhor controle da entrada e saída dos materiais, em especial de produtos químicos.

22/06/2021