A ANA - Agência Nacional de Águas lançou o Manual Orientativo para Sistemas de Medição de Vazão de Água em Condutos Forçados. O objetivo da publicação é apresentar os princípios básicos e orientações técnicas sobre medição de vazão de fluidos para os usuários de recursos hídricos e profissionais da área de maneira que possam realizar adequadamente o monitoramento de usos da água, por meio da medição de vazão de água em condutos forçados, como tubulações.

Produzida em parceira com o IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, a publicação é voltada para projetistas, construtores e usuários de sistemas de medição de água bruta, sobretudo dos segmentos de captação, transporte e distribuição. O material serve, ainda, de referência para usuários de recursos hídricos que devem implantar e manter sistemas de medição de vazão e profissionais que atuam no suprimento de plantas industriais.

A publicação foi elaborada considerando os principais fundamentos científicos aplicados à atividade, a normatização nacional e internacional existente sobre o tema, as recomendações de fabricantes e de laboratórios de calibração de medidores de vazão, além das tecnologias atualmente disponíveis no mercado.

O manual aborda inicialmente os fundamentos e princípios básicos para medição de vazão de água em condutos forçados. Na sequência o enfoque é dado para o dimensionamento e o projeto do sistema de medição. Outro capítulo trata da seleção de medidores de vazão de fluidos para condutos forçados. Em seguida há explicações sobre a instalação do sensor, medidor e acessórios. O capítulo sobre operação e manutenção do sistema de medição encerra a publicação, que ainda conta com um anexo sobre as características metrológicas dos instrumentos de medição e outro sobre termos e definições acerca do tema.

A correta instalação e operação de sistemas de monitoramento de uso da água são fundamentais para o controle e a gestão de recursos hídricos, especialmente em bacias e sistemas hídricos críticos em função da alta demanda e da baixa disponibilidade hídrica. Esses sistemas de monitoramento permitem o acompanhamento contínuo de vazões e volumes extraídos dos corpos d'água tanto pelos usuários quanto pelos órgãos gestores. Assim, é possível verificar o cumprimento de regras de uso da água vigentes para que a quantidade utilizada esteja sempre dentro de limites sustentáveis.



Mais Notícias HYDRO



Prefeitura de Paraibuna investe em ETE e reúso

Complexo de 2000 m³/dia atenderá 100% da população da cidade.

28/07/2020


Flottweg desenvolve decanter centrífuga com vazão 15% maior

O segredo é a rosca transportadora sem corpo.

28/07/2020


Aprovada pela Fapesp criação do Brazilian Water Reseach Center

Investimentos serão de R$ 120 milhões, sendo R$ 30 milhões da Fapesp e outros R$ 30 milhões da Sanasa.

28/07/2020