O diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Ambipar, Gabriel Estevam Domingos, por meio do laboratório de desenvolvimento de soluções ambientais, criou uma forma inovadora de reaproveitamento dos resíduos de indústrias de cosméticos do Brasil para fabricação de produtos de limpeza.

A iniciativa começou há cerca de dois anos, quando as próprias empresas os procuraram para desenvolver uma rota de reutilização desses produtos, visando à redução dos custos de disposição que eram gastos, como, por exemplo, na queima e/ou envio para estação de tratamento de efluentes. Uma forma assim também de cumprir os aspectos legais fomentados por políticas públicas.

Basicamente é o conceito da "economia circular" e o que rege a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305 de agosto de 2010), que prevê a obrigatoriedade, por parte dos geradores de resíduos para a reciclagem, reutilização e principalmente a criação de mecanismos para as fontes de negócios, emprego e renda, mediante valorização dos resíduos sólidos.

Produtos como carga para sabões em pó, amaciantes de roupa e limpador multiuso são feitos em escala piloto com restos de cremes (bulk de cosméticos), álcool de lavagem perfumado, lauril (shampoo) e sobras de óleo de palma. A capacidade interna é de cerca de 200 unidades de cada produto por dia. A empresa não comercializa os produtos criados ainda e doa sua produção para o uso interno (limpeza predial). A Ambipar está estruturando a produção em escala industrial através da captação de parceiros interessados na iniciativa.



Mais Notícias HYDRO



Levantamento aponta aumento no número de ETEs no Brasil

No entanto, somente 36% dos municípios possuem tratamento de esgotos.

04/08/2020


Tecnologia inglesa blinda embalagens e produtos plásticos contra o coronavírus

Aditivo pode ser aplicado na fabricação de tubos de água.

04/08/2020


Biotecnologia para caixas de gordura

Bactérias podem reduzir o volume das caixas em até 70% em 30 dias.

04/08/2020