Responsável pela gestão dos serviços de água e esgoto na capital do Piauí, a empresa privada Águas de Teresina completa quatro anos celebrando a universalização do abastecimento de água tratada na zona urbana. O feito inseriu Teresina entre os municípios cujo índice no atendimento urbano com água tratada é de 100%, de acordo com a edição 2021 do Ranking do Saneamento Básico divulgado pelo Instituto Trata Brasil.

A ampliação do abastecimento foi encarada com prioridade pela concessionária logo no seu plano de entrada. Teresina registrava um histórico de falta d’água crônico em algumas regiões. “Hoje, estamos com 100% da área urbana atendida com água tratada e o serviço de esgoto avança na capital. Em breve, vamos anunciar um pacote de investimentos em esgotamento sanitário que abrirá as portas da cidade para mais crescimento e desenvolvimento”, destaca o presidente da concessionária, Jacy Prado.

O modelo de subconcessão, cujo contrato segue os moldes do novo marco regulatório do saneamento, tem atuado para reduzir as perdas na distribuição de água e conferir eficiência operacional ao sistema. A empresa vem obtendo bons resultados nesse sentido. O índice, que antes era de 64,1%, hoje apresenta 43,94%. A meta contratual na capital piauiense prevê que o índice seja de 25% até 2027, décimo ano de operação dos serviços da Águas de Teresina.

No atendimento ao serviço de esgotamento sanitário, por exemplo, Teresina teve uma evolução de 14,03 pontos percentuais na coleta total de esgoto, maior que a média geral do país, que foi de 6,46 pontos percentuais, no intervalo de 2015 a 2019. No indicador de tratamento de esgoto, as capitais avançaram, em média, 8,62 p.p., sendo que Teresina também obteve índice maior, de 10,73 p.p, considerando o mesmo intervalo de 2015 a 2019.

“O modelo de gestão adotado pela Águas de Teresina, com foco na capacidade técnica e operacional de suas equipes, treinamento permanente dos colaboradores e adoção de novas tecnologias aplicadas ao saneamento, tem permitido a ampliação dos serviços e atendimento das metas contratuais”, ressalta Fernando Lima, diretor-executivo da empresa.

Desde a entrada da concessionária, em julho de 2017, os investimentos em saneamento básico da capital (abastecimento de água e esgotamento sanitário) têm sido bastante significativos, sobretudo quando comparados aos anos anteriores. Somente em 2019, a Águas de Teresina investiu mais do que a soma dos anos de 2015 a 2017, aplicando em torno de R$ 115 milhões na ampliação dos serviços de água e esgoto. Isso coloca a concessionária piauiense entre as empresas que mais investiram no período, de acordo com o estudo do Trata Brasil.

São quatro anos de obras na cidade, como a instalação de novas unidades de bombeamento nas zonas Sudeste e Leste; implantação de 3,5 km de adutora na zona Sul; mais de 13 km de adutoras nas zonas Norte e Leste, ativação e perfuração de novos poços tubulares profundos (12 estão em operação), extensões de redes e novos registros, além da automação e telemetria das unidades.



Mais Notícias HYDRO



Alagoas e BNDES lançam edital para nova concessão de saneamento

Projeto envolve 61 municípios, divididos em dois blocos.

20/09/2021


Fluoretação da água passa a ser 100% automatizada em Cuiabá

Projeto envolve 11 ETAs e permite melhor controle dos níveis de flúor.

21/09/2021