A Rede Monitoramento Covid Esgotos acompanhará a carga viral do novo coronavírus nos esgotos de seis capitais: Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro. O trabalho, uma das maiores iniciativas brasileiras de monitoramento da Covid-19, busca fornecer subsídios para a tomada de decisões para o enfrentamento à pandemia atual.

O projeto piloto atuou na capital mineira e em Contagem desde abril de 2020. As lições aprendidas servirão de base para os trabalhos da rede recém-criada, que tem o objetivo de monitorar a presença do novo coronavírus nas amostras de esgoto coletadas em diferentes pontos do sistema de esgotamento sanitário das cidades analisadas. Assim é possível gerar dados para a sociedade e ajudar gestores na tomada de decisões sobre a pandemia atual. Com base na carga viral medida em trilhões de cópias do novo coronavírus por dia, é possível estimar a população contaminada, que elimina o vírus pelas fezes e urina, sendo que não há evidências da transmissão do vírus através das fezes (transmissão feco-oral).

Com os estudos, o grupo pretende identificar tendências e alterações na ocorrência do vírus nas diferentes regiões analisadas para entender a prevalência e a dinâmica de circulação do vírus. Outra linha de atuação é o mapeamento dos esgotos para indicar áreas com maior incidência da doença e usar os dados obtidos como uma ferramenta de aviso precoce para novos surtos, por exemplo.

Com os dados obtidos, é possível saber como está a ocorrência do novo coronavírus por região, o que pode direcionar a adoção ou não de medidas de relaxamento consciente do distanciamento social. Também pode possibilitar avisos precoces dos riscos de aumento de incidência da Covid-19 de forma regionalizada, embasando a tomada de decisão pelos gestores públicos.

A rede é coordenada pela ANA e INCT ETEs Sustentáveis. Tem apoio do CNPq e conta com os parceiros: UnB - Universidade de Brasília, Universidade Federal de Minas Gerais, UFPE - Universidade Federal de Pernambuco, UFC - Universidade Federal do Ceará, UFPR - Universidade Federal do Paraná e UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro.



Mais Notícias HYDRO



Portaria legaliza o uso de poços e águas subterrâneas

Segundo a ABAS, a GM/MS 888 corrige distorções e traz avanços importantes.

15/06/2021


Assembleia Legislativa de São Paulo aprova criação de unidades regionais de saneamento

Projeto impõe metas de universalização de água e esgoto no Estado.

15/06/2021


BNDES fará estudos para ampliar saneamento no Paraíba

Banco assinou contrato de estruturação de projeto com o Governo do Estado.

15/06/2021