A Lamiex desenvolveu um processo de soldagem de chapas laminadas de polietileno (PE) e polipropileno (PP) denominado Lamisolda, que se baseia no uso de um fio polimérico aplicado com o auxílio de maçarico ou extrusora portátil, que funde e condiciona o material entre os substratos a serem unidos. Os fios são fornecidos em embalagens de 5 kg nos formatos oval (3,5 x 2,5 ou 4,0 x 7,0 mm) ou triangular (5,0 x 7,0 mm) e as chapas unidas se aplicam a diversos segmentos da indústria.

 

A empresa também fornece as chapas em si, nas linhas Lamipro, Lamipro+ e Lamiprok+, baseadas em PP. Cada uma possui um grau diferente de resistência mecânica e às intempéries. Sendo assim, podem ser empregadas na fabricação de itens que variam desde órteses, móveis de laboratórios, peças para maquinário agrícola, manta de isolamento, até tanques para galvanoplastia, pisos, pipas para vinho, tanques prismáticos e tubos e conexões.

 

No portfólio de chapas de polietileno de alta densidade (PEAD) estão opções como a Lamilen, voltada a tábuas de corte, bandejas termoformadas, tanques e lavadores de gases, revestimentos de caçambas, guias para máquinas de envase e peças para máquinas agrícolas. Já a Lamiglide é uma chapa de polietileno de ultra alto peso molecular (PEUAPM) para aplicação em peças e equipamentos que exijam alta resistência à abrasão e efeito antiaderente.

 

A companhia produz também chapas com retardante de chama, voltadas à construção de equipamentos que necessitam de proteção contra incêndio, chapas de material reciclado proveniente de aparas pós-industriais de PEAD e PP , além de prestar serviços de usinagem de plásticos.

#plastico #soldaplastica #uniaodechapas